quarta-feira, 19 de outubro de 2011

OUTUBRO ROSA DCM - Mamografia é essencial para detecção precoce do câncer de mama

Fonte: PMS - Secom / Santos
Foto: Anderson Bianchi - PMS-Secom

O câncer de mama tem até 90% de cura se detectado precocemente. Para isso, é essencial a realização anual da mamografia (radiografia da mama), que mostra lesões em fase inicial, mesmo com milímetros de tamanho. Apesar do exame gerar um pouco de desconforto, torna-se necessário para o diagnóstico preciso do médico e início do tratamento.


A mamografia é realizada em aparelho de Raios-X chamado mamógrafo. “É um desconforto suportável, mas toda mulher deve fazer o exame para, caso tenha algum problema, diagnosticar logo no começo”, diz a dona de casa Margarida Tavares de Souza, 63 anos, usuária da UBS (Unidade Básica de Saúde) do São Manoel/Piratininga, que passou pelo exame na Afip, entidade conveniada com a prefeitura de Santos, a qual conta com novo mamógrafo desde julho.
Margarida faz o exame anualmente. Ela está dentro do grupo de risco, pois tem caso da doença em parente de 1° grau. “Há 10 anos, minha irmã teve diagnosticado câncer na fase inicial por meio de uma mamografia, o que pode tê-la ajudado a superar o problema”.

O médico radiologista Wagner Moraes Barros, responsável pelo setor de imagem da Afip, explica que o exame pode detectar lesões não palpáveis e de pequenas dimensões.


Oferta

A legislação federal (lei 11.664/2008) prevê que todas as mulheres a partir dos 40 anos têm direito à mamografia. O INCA (Instituto Nacional do Câncer) sugere que aquelas com idade de 40 a 49 anos realizem o exame clínico das mamas uma vez ao ano, feito por médicos ou enfermeiros treinados e pode detectar tumores superficiais maiores de 1 cm.

“Na rede municipal de saúde de Santos faz parte do protocolo de atendimento a realização anual de mamografia para todas as mulheres a partir de 40 anos”, explica a coordenadora de Saúde da Mulher da SMS (Secretaria de Saúde), Vera Aparecida Andrade.
A mamografia não tem fila de espera na rede municipal. Para realizá-la, a mulher deve agendar consulta com ginecologista na UBS ou USF (Unidade de Saúde da Família) de referência do seu endereço. Se ela tiver alterações clínicas ou estiver dentro da faixa etária indicada ou dos critérios de risco, será encaminhada para o exame, que poderá ocorrer na mesma semana.
Mas, apesar da facilidade, há baixa procura pelo procedimento. Em 2009, foram realizados na Afip 9.758 exames em mulheres de 40 a 69 anos. Já em 2010, este número reduziu para 8.705. Outro problema é o absenteísmo (faltas). Prova disso é que, no primeiro semestre deste ano, de 7.200 mamografias agendadas, 1.376 pacientes faltaram ao exame marcado.
Autoexame

Como forma complementar à consulta médica e aos exames clínico e de mamografia, a mulher também pode realizar em casa o autoexame – o toque das mamas feito por ela mesma uma vez por mês.
Quando a mulher ainda menstrua, ele deve ser feito após a menstruação. Desta forma, é possível detectar lesões maiores de 2 cm. “O autoexame é importante para a mulher conhecer o seu corpo e ajuda a detectar nódulos agressivos, que podem surgir rapidamente de um ano para outro”, afirma o mastologista Gilberto Moreira Mello, do Instituto da Mulher.
Campanha

Neste mês, a prefeitura promove campanha de mobilização contra o câncer de mama: o Movimento Rosa – Amor à Vida. A ação, coordenada pela Secretaria de Saúde, em parceria com o Fundo Social de Solidariedade e setores da administração municipal, entidades, instituições de ensino, empresas e voluntários, e visa sensibilizar o público feminino sobre a importância das consultas e exames preventivos.

0 comentários:

Postar um comentário