terça-feira, 26 de julho de 2011

Saúde ONG DCM - Diabetes Gestacional

Fonte: Da Redação

Entenda como surge o problema,  aprenda a monitorar de maneira simples  e controle os níveis de glicose no sangue

Recentemente, os principais jornais do Brasil noticiaram o nascimento de um bebê de 7,3 Kg, que nasceu por cesariana, nos Estados Unidos. Por razões óbvias, essa notícia impressionou a todos, principalmente os médicos que esperavam que ele nascesse com dois quilos a menos. Porém, a causa do sobrepeso do bebê é decorrente de uma diabete gestacional pela qual a mãe sofreu.

A quantidade de açúcar no sangue da mulher grávida fica acima do nível considerado normal, mas, na maioria dos casos, essa situação se regulariza logo após o nascimento do bebê – diferentemente dos outros tipos de diabetes, que duram a vida inteira.

A doença surge quando o corpo não consegue produzir a insulina – hormônio fabricado pelo pâncreas – em quantidade suficiente. Esse hormônio controla o nível de açúcar no sangue para ser usado como fonte de energia.

O corpo da mulher grávida precisa produzir insulina extra para atender às necessidades do bebê. Se o organismo não consegue fazer isso, pode ocorrer a diabete de gestação. O nível de açúcar pode subir decorrente às mudanças hormonais ocasionadas pela gravidez, que interferem na ação da insulina.

Para ter certeza de que está ou não com qualquer tipo de diabetes, é importante o monitoramento da doença. Através de um simples teste caseiro é possível detectar o problema ou descartar as dúvidas. O procedimento é simples, uma tira do teste Tiras de Glicose da Linha Confirme deve ser mergulhada no recipiente onde foi coletada a urina. Após 2 segundos, a tira deve ser retirada do recipiente. Feito isso, em cerca de 30 a 60 segundos o resultado aparecerá. A cor da tira deve ser comparada com a da escala cromática.


.
Postagem Anterior
Proxima Postagens

Postado Por:

Defesa e Cidadania da Mulher é uma organização não governamental de Praia Grande/SP, nomeada Utilidade Pública e sem fins lucrativos. Desde 2005, atuamos nas bases: social, educacional, profissionalizante e cultural, destinadas à conscientização, assistência e amparo às mulheres de qualquer idade, raça ou religião, possibilitando-a que esta exerça a sua cidadania de forma consciente, visando na erradicação da Violência Doméstica.

0 comentários: