sexta-feira, 8 de julho de 2011

Crianças mais novas estão praticando menos atividades físicas

Fonte: Sec. de Estado da Saúde

Estudo em 2,5 mil escolas paulistas mostra estudantes do ensino médio 20% mais
ativos que alunos do ensino fundamental


Estudo das secretarias de Estado da Saúde e da Educação, realizado em parceria com o Celafiscs (Centro de Estudos do Laboratório de Aptidão Física de São Caetano do Sul) aponta, pela primeira vez, que os alunos do ensino médio estão, em média, 20% mais ativos que estudantes do ensino fundamental.

A tendência sempre foi o inverso. Quanto mais velha a pessoa fica, menos pratica exercício físico. Essa mudança de comportamento acende um alerta. Indica que, a cada geração, o problema da falta de atividade física se agrava.

"A hipótese principal é que as crianças têm exposição maior a computador, videogame e televisão. Hoje, as crianças são hábeis com a tecnologia. Porém o custo disto é que não se exercitam adequadamente," explica Victor Matsudo, coordenador do Agita São Paulo, programa estadual voltado ao incentivo da prática de atividades físicas. "Uma das consequências é a obesidade infantil", alerta.

O programa Agita São Paulo recomenda que as crianças se movimentem em pé por cinco minutos a cada meia hora de atividade sentada.

O levantamento foi feito com 2,5 mil escolares da 5º e 9ª anos do ensino fundamental (ciclo II) e do 3º ano do ensino médio, em uma amostra representativa para o estado de São Paulo. Os jovens responderam a um questionário onde apontavam quanto gastavam de tempo com cada atividade. A recomendação internacional mínima para realizar atividade física é de 300 minutos por semana para crianças e 150 minutos para adultos.

Quanto mais tempo a criança fica sentada, maior é o seu peso corporal e índice de massa corpórea e maior é o nível de colesterol ruim e triglicérides. Em contrapartida, menor é o nível de colesterol bom e menor é o nível de potência aeróbica (capacidade do organismo em transportar oxigênio).
Postagem Anterior
Proxima Postagens

Postado Por:

Defesa e Cidadania da Mulher é uma organização não governamental de Praia Grande/SP, nomeada Utilidade Pública e sem fins lucrativos. Desde 2005, atuamos nas bases: social, educacional, profissionalizante e cultural, destinadas à conscientização, assistência e amparo às mulheres de qualquer idade, raça ou religião, possibilitando-a que esta exerça a sua cidadania de forma consciente, visando na erradicação da Violência Doméstica.

2 comentários:

  1. A culpa é exclusivamente dos pais que nem sempre oferecem opção de esporte e lazer para as crianças. Pais acomodados que se importam apenas com o seu trabalho e entopem as crianças com comida industrializada. Sem tempo preferem no final de semana se refastelarem em frente da TV se fartando de cervejas ao invés de levar a criança para brincar ao ar livre. Nossa sociedade está doente e a culpa são de pessoas não preparadas para serem responsáveis por outras vidas. Dê uma bola para um garoto e diga-lhe: Largue um pouquinho o computador e vem comigo jogar - Aposto que ele largará o computador/TV na hora!
    Beijus,

    ResponderExcluir
  2. Obrigada por compartilhar sua opinião. Continue nos visitando! Grata Equipe DCM

    ResponderExcluir