Quem Somos

Conheça a Ong DCM

Doações

Saiba como fazer a sua doação

Seja um Voluntário!

Saiba como se tornar um voluntário

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Gestantes devem redobrar cuidados com doenças bucais

Inflações na gengiva aumentam chances de parto prematuro

A gestação causa algumas alterações no organismo, sintomas como enjôo e vômitos são frequentes em qualquer gestante e apesar de causar certo incômodo são considerados processos naturais durante o período. A alteração de hábitos alimentares pode levar ao agravamento ou aparecimento de doenças
bucais como periodontite - infecção nos ossos e nas fibras que sustentam os dentes; e gengivite - inchaços e sangramentos na gengiva, que causam mau-hálito, pus, amolecimento e mudança na posição dos dentes.


Segundo Dr. Eduardo Rollo Duarte, dentista e periodontista especialista em próteses, as gestantes devem redobrar os cuidados com a higiene bucal. “O acúmulo da placa bacteriana é responsável pelo aumento de cáries e gengivites, essas infecções podem elevar as chances de um parto prematuro”. Inflamações bucais levam o corpo a produzir substâncias que podem causar contrações no útero o que pode antecipar o nascimento do bebê.


A alteração hormonal durante a gravidez altera as fibras da gengiva, o que pode facilitar o acesso das bactérias que provocam a gengivite. Para evitar a inflação alguns cuidados devem ser tomados.


Cuidados com a odontologia da mulher


- Controle da gengiva - a partir da puberdade. As alterações hormonais que ocorrem na mulher podem provocar a gengivite pós-puberal ou gengivite da puberdade.

- Controle da gengiva em grávidas - Muito se fala sobre os cuidados que a mulher grávida deve ter com os dentes para prevenir a cárie. O que pouco se explica é que as alterações hormonais durante a gravidez podem provocar a gengivite gravídica ou da gravidez, que traz sequelas para a gengiva e para o osso periodontal, com reabsorção óssea irreversível, alterações estéticas e funcionais. “Este tipo de inflamação pode provocar o nascimento pré-maturo e de baixo peso do bebê”, explica Dr. Eduardo.

É ideal que toda mulher em idade fértil consulte seu ginecologista, mas também um dentista periodontista, pois se ela tiver gengivite, corre o risco de ter a gengivite exacerbada durante a gravidez, podendo gerar bebê
prematuro e de baixo peso.

Problemas relacionados a distúrbios do sono devem ser alvo de cuidados especiais tanto em homens quanto em mulheres. As visitas ao dentista devem ser regulares, além da preocupação com a ingestão de alimentos e qualidade de vida. Além disso os cuidados básicos não pode ser esquecidos: Escovação dos dentes após as refeições; uso de fio dental;  de enxaguatório bucal, que ajudam na diminuição de bactérias;

Ingestão de alimentos balanceados, que contenham vitamina B e cálcio;

Evitar ingestão de alimentos com alto índice de carboidratos, dar preferência para frutas e vegetais;

Começa amanhã (18) vacinação contra paralisia infantil e sarampo

Fonte: Sec. de Saúde do Est. de SP

 

Postos de saúde estarão abertos em todo o Estado neste sábado


A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo abre neste sábado, 18 de junho, a primeira etapa da campanha de vacinação contra a paralisia infantil em todo o Estado, que também incluirá a imunização de crianças contra o sarampo.

Na capital, um posto volante da Secretaria, que será montado no shopping West Plaza, zona oeste, e funcionará das 10h às 14h, oferecerá doses das vacinas e também contará com distribuição gratuita de máscaras, esculturas de balão e pintura de rosto para as crianças que forem levadas ao local.

O objetivo da campanha é proteger a população infantil contra as sarampo e paralisia infantil antes do período de férias. De sábado até 1º de julho devem ser levadas às salas de vacinação todos os paulistas com até seis anos de idade.

Crianças entre 0 e 1 ano de idade irão receber apenas a vacina contra a paralisia infantil. As entre 1 e 4 anos receberão doses contra o sarampo e paralisia infantil. E as entre 5 e 6 anos, somente a vacina contra o sarampo. Além disso, haverá atualização de eventuais doses em atraso na caderneta.

Por todo o Estado serão mobilizados cerca de 14 mil postos de saúde e 51 mil profissionais, em parceria com as prefeituras (confira abaixo a lista completa da Grande São Paulo). O horário de funcionamento dos postos é das 8h às 17h. A meta para imunização contra paralisia infantil é atingir 2,67 milhões de crianças,
equivalente a 95% das crianças com até 5 anos de idade. Contra o sarampo a vacinação também pretende chegar a 95% de adesão, o que representa 3,17 milhões de crianças.

"A vacina tríplice viral é a medida de prevenção mais eficaz contra o sarampo, protegendo também contra a rubéola e a caxumba. É importante que os responsáveis levem as crianças para se protegerem. A imunização contra a paralisia infantil também é fundamental para que o vírus causador da doença não volte a circular no
estado", afirma Helena Sato, diretora de Imunização da Secretaria.

São Paulo não registra nenhum caso de paralisia infantil desde 1988. No entanto, como o vírus da poliomielite ainda circula em países da África e da Ásia, é fundamental que todas as crianças menores de cinco anos sejam imunizadas anualmente com as duas gotas da vacina Sabin.

Sintomas
A Secretaria orienta a população para que esteja atenta aos sintomas do sarampo. Os principais são febre e exantema (manchas avermelhadas no corpo), acompanhados ou não de tosse, coriza e conjuntivite. Nesses casos a recomendação é para que a pessoa procure imediatamente um posto de saúde e evite contato desnecessário com outras pessoas até que receba avaliação médica.

segunda-feira, 6 de junho de 2011

SAUDE DCM - Dengue não impede amamentação

Fonte: Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo

Estudo preliminar no HC de Ribeirão Preto com mulheres que tiveram a doença aponta
que não houve transmissão para os bebês amamentados


As mães infectadas pelo vírus da dengue seus filhos podem e devem continuar a amamentação normalmente durante o período em que estiverem doentes. A recomendação é do médico infectologista Benedito Antonio Lopes da Fonseca, do Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto, ligado à Secretaria de Estado da Saúde, que
garante não haver contraindicação da amamentação para o bebê. "Caso a mulher esteja infectada pela dengue e tenha energia para amamentar, estará trazendo benefícios para a criança", afirma Fonseca.

Segundo o médico, a dúvida é frequente nas mulheres que amamentam, quanto à possibilidade de transmissão do vírus. "Não há perigo de contaminação, uma vez que a dengue não passa pelo leite. A doença
só é transmitida pela picada do mosquito Aedes aegypti", explica o infectologista.

Segundo Fonseca, um estudo preliminar no HC de Ribeirão Preto, com seis mulheres que tiveram dengue no final da gestação, mostra que em nenhum dos casos houve transmissão do vírus da dengue para os bebês depois de amamentados. Além disso, foi comprovado que os bebês absorveram, durante a amamentação,
anticorpos contra vírus da dengue.  Isto porque o leite materno é rico em anticorpos e na parte gordurosa possui um fator antidengue que age como uma ação farmacológica, protegendo o bebê.

Entretanto, segundo o infectologista, a proteção depende da quantidade de mamadas e não há um número certo, visto que varia de criança para criança, ou seja, quanto mais tempo a criança tiver acesso ao leite materno, menores serão as suas chances de contrair dengue. "Agora vamos pesquisar se esses anticorpos são suficientes para imunizar os bebês e qual é o prazo dessa imunização." Para isso, é necessário colher o sangue dos bebês três semanas depois que as mães se recuperarem da dengue e refazer os exames.

"Acreditamos que a imunização realmente aconteça com base nas outras doenças virais nas quais a criança fica imunizada depois da amamentação, como por exemplo, a rubéola." Segundo o médico, a amamentação não pode ser encarada como uma vacina contra a doença.  O que significa que todos os cuidados de higiene e as recomendações para se evitar a proliferação da dengue devem ser mantidos.

Queda

Balanço da Secretaria aponta que o número de casos de dengue no primeiro quadrimestre de 2011 no Estado de São Paulo foi 79,3% inferior ao registrado no mesmo período de 2010.

Os municípios paulistas informaram à Secretaria, por intermédio do Sinan (Sistema de Informações de Agravos de Notificação), 32.494 casos autóctones (com transmissão dentro do estado) nos quatro meses iniciais deste ano. No primeiro quadrimestre do ano passado houve 157.506 casos.

domingo, 5 de junho de 2011

Voluntário da DCM dá entrevista sobre a Festa Junina do Portinho

No primeiro dia da Festa Junina do Portinho (3), o voluntário da festa, Edilson Oliveira, concedeu entrevista sobre a expectativa de público ao Jornal A Tribuna - Primeira Edição. Confira clicando AQUI.

quinta-feira, 2 de junho de 2011

ONG DCM participa do Arraial do Portinho. Venha conferir!

 Fonte: Sectur/PG

Sectur divulga a programação do Arraial do Portinho

1ª Festa Junina Municipal acontece de 3 a 25 de junho



      Já está disponível a programação de apresentações musicais da primeira Festa Junina Municipal de Praia Grande. Programada para acontecer de 3 a 25 de junho, o Arraial do Portinho deve contar com extensa programação de shows, quadrilha, comidas e bebidas típicas.

Montado em um dos pontos turísticos de maior importância do Município, o Arraial do Portinho promete muita diversão em ambiente familiar, com estrutura para abrigar mais de 2 mil pessoas por noite. A festa acontece todas as sextas e sábados de junho, das 19 horas à meia-noite, e domingos, das 18 às 22 horas. A entrada é gratuita.

“Nossa intenção é promover uma grande festa direcionada às famílias da Cidade”, pontua o secretario de Cultura e Turismo, Carlos Ananias Lobão. “Um local bem estruturado, onde pais possam se divertir com seus filhos, apreciando a culinária típica na companhia de amigos e boa música. Temos certeza de que o sucesso do evento será tanto que há grandes possibilidades de que ele entre para o calendário oficial do Município. Todos os eventos promovidos na Cidade vem recebendo ótima aceitação do público, o que nos incentiva a criar uma agenda cada vez mais diversificada para Praia Grande. Nossas expectativas são as melhores possíveis”, comemora.

Projetado em ambiente coberto, com estacionamento e banheiros químicos, o Arraial do Portinho contará com praça de alimentação, onde 20 instituições sociais do Município comercializarão comidas e bebidas típicas da festa. Música ao vivo e barracas com brincadeiras juninas, como pescaria e tiro ao alvo devem complementar a festa, que terá como cenário a bela paisagem da Área de Lazer Ézio Dall’Acqua, conhecida popularmente como Portinho. Situado às margens do Mar Pequeno, o acesso do Portinho se dá pela entrada de Praia Grande, à direita do Portal da Cidade.

Confira a programação musical do Arraial do Portinho:


Dia 3 de junho
19 hs – Abertura Oficial
19h30 – 21h45 Drops De Anis
22hs - 22h45 Larissa Barbosa
23hs – 24hs Henrique Marx

Dia 4 de junho
20hs – 21hs Forró de Xote
21hs - 22hs Cia Aroeira & Coroné
22h15 – 24hs Forró de Xote

Dia 5 de junho
19hs – 21hs Musikromma
21hs – 22hs Chiquinho do Acordeon & Banda

Dia 10 de junho
19hs – 20hs Música Eletrônica/Atividades
20hs – 21h30 Forró Da Terra
21h45 – 24hs Lobão Quartet

Dia 11 de junho
220hs – 21hs Andrea Monthero
21h15 – 22h15 Roberto & Ariel
22h30 – 24hs Andrea Monthero

Dia 12 de junho
18hs – 20hs Banda Magusta
20hs – 22hs Macaco Prego

Dia 17 de junho
19hs – 21hs Zago Band
21h15 – 22h15 Danilo & Diego
23hs – 24hs Zago Band

Dia 18 de junho
20hs – 22hs Cia Aroeira C.Carneiro
22h30 – 24hs Nayat Jordan & Banda

Dia 19 de junho
18hs – 19hs Música Eletrônica
19hs – 22hs Edinho Show & Cap.Limao

Dia 23 de junho
19hs – 20hs Musica Eletronica/Atividades
20h30 – 24hs Giovanni Music Band

Dia 24 de junho
19hs – 20hs Quadrilha Pics -Sepros
20hs – 21h30 Forró De Xote
22hs – 23hs Bruno César
23hs – 24hs Forró De Xote

Dia 25 de junho
19hs – 22hs Passagem da Procissão de São.Pedro
22hs – 23hs Música Eletrônica
23hs – 24hs Marco Paulo & Mathias