segunda-feira, 9 de maio de 2011

Sustentabilidade: A partir de hoje, supermercados começam a cobrar por sacolas plásticas

Fonte: Da Redação

O secretário de meio ambiente, Bruno Covas é um dos idealizadores do Projeto, que visa a preservação do meio ambiente

Durante a abertura do 27º Congresso de Gestão e Feira Internacional de Negócios em Supermercados, organizada pela Associação Paulista de Supermercados (APAS) que aconteceu na manhã de hoje (9), o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e o secretário estadual do Meio Ambiente, Bruno Covas, assinaram um convênio que elimina a distribuição gratuita das sacolas plásticas em todo o Estado.

Estima-se que a distribuição das embalagens custe para os supermercados até 1% do faturamento de um supermercado, assim, como as sacolas custaram R$ 0,19 cada, os logistas terão um incremento nas vendas. Os clientes também terão que comprar mais sacos de lixos, já que muitas das sacolas são reutilizadas nas residências.

O valor estipulado pela Apas não é muito diferente do preço cobrado pelos sacos de lixo vendidos nas prateleiras dos supermercados, que costumam oferecer o produto com suas marcas próprias, mais baratas que as marcas de terceiros. A sacola dos supermercados pode, em alguns casos, custar até caro para o consumidor.

Uma embalagem com 50 unidades de sacos de lixo para pia e banheiro (com redução de odores) custa R$ 8,55 em uma rede de supermercados da cidade de São Paulo, ou o equivalente a R$ 0,17 por unidade.

O convênio entre o governo e a Apas não terá força de lei, o que quer dizer que ninguém será multado se não respeitá-lo, mas deve incentivar as redes de supermercados a deixarem de fornecer as embalagens. De acorodo com a Apas, em Jundiaí, onde um projeto-piloto foi implantado em 2010, a aprovação dos consumidores foi de 75% e houve uma grande redução no desperdício de sacolas plásticas. Em um mês, de acordo com a entidade, os supermercados retiraram 80 toneladas de sacolas plásticas, enquanto o total de unidades vendidas de sacos de lixo cresceu bem menos, em apenas cerca de 20 toneladas.
Postagem Anterior
Proxima Postagens

Postado Por:

Defesa e Cidadania da Mulher é uma organização não governamental de Praia Grande/SP, nomeada Utilidade Pública e sem fins lucrativos. Desde 2005, atuamos nas bases: social, educacional, profissionalizante e cultural, destinadas à conscientização, assistência e amparo às mulheres de qualquer idade, raça ou religião, possibilitando-a que esta exerça a sua cidadania de forma consciente, visando na erradicação da Violência Doméstica.

0 comentários: