quarta-feira, 16 de março de 2011

SAUDE DCM - SP vai testar acupuntura para tratar efeito colateral do tratamento contra HIV

Fonte e foto: Da redação e Divulgação
 

Objetivo é comprovar benefícios do método, como quebra de gordura acumulada no organismo de pacientes soropositivos

A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, por intermédio do Centro de Referência e Treinamento em DST/Aids, irá testar a aplicação de sessões de
acupuntura para tratar lipodistrofia, efeito colateral do tratamento de pacientes soropositivos com antirretrovirais.

O projeto de pesquisa tem como objetivo avaliar o benefício da acupuntura no tratamento do problema, verificando se a técnica oriental contribui para a quebra das moléculas de gordura e melhora do tônus muscular.

A lipodistrofia é uma alteração no organismo que leva ao acúmulo de gordura em determinadas regiões como abdome, dorso e mamas, e diminuição de gordura em face, membros e nádegas. A maior parte dos casos ocorre em pacientes que fazem uso de terapia antiretroviral, embora seja notada também em alguns pacientes que não usam este tipo de medicação.

O problema pode afetar adultos e crianças e a sua incidência aumenta com o tempo de uso dos antirretrovirais, influenciando negativamente na autoestima dos pacientes, podendo levar a transtornos depressivos e abandono de tratamento.

O Centro de Referência e Treinamento em DST/Aids, na capital paulista, já promove sessões de acupuntura para pacientes da unidade, mas não com o fim específico de combater a lipodistrofia. Caso a pesquisa tenha retornos positivos, a proposta é integrar o método ao tratamento do problema. O protocolo contemplará entre 10 e 15 sessões de acupuntura.

"A pesquisa será fundamental para r verificar se a acupuntura pode de fato contribuir para a melhora da lipodistrofia  e o número de sessões necessárias para obtenção de um bom resultado", observa a infectologista e acupunturista Audrey Egypto Macedo, responsável pelo projeto.

0 comentários:

Postar um comentário