Quem Somos

Conheça a Ong DCM

Doações

Saiba como fazer a sua doação

Seja um Voluntário!

Saiba como se tornar um voluntário

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Mulheres: estresse aumenta risco de câncer, infecções e depressão


Fonte e foto: Divulgação

Medicamentos homeopáticos são seguros e eficazes, afirma especialista


Mulheres com estresse apresentam risco maior de desenvolver câncer, infecções e depressão. É o que afirma a Dra. Carla Realti, médica especialista em ginecologia pelo Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo. Ela explica que, quando estão estressadas, as mulheres produzem um hormônio chamado cortisol, que aumenta as chances de desenvolvimento de doenças.

"Atualmente, as mulheres têm uma rotina muito agitada, com jornada tripla de trabalho, casa e filhos, tudo isso favorece o estresse", aponta a médica. Ela esclarece que os fatores hormonais, nutricionais e psíquicos também podem predispor ao problema.

Em relação às famosas TPM e menopausa, a Dra. Realti explica que elas não favorecem a doença. "Normalmente, mulheres que têm TPM grave são pacientes já deprimidas ou com distúrbio de ansiedade generalizada, nas quais a oscilação hormonal piora o quadro psiquiátrico já existente, e não o contrario. TPM e menopausa não são causas do estresse, apenas acentuam distúrbios latentes nestas mulheres que já apresentam alterações psiquiátricas", conclui.

De acordo com a ginecologista, prevenir o problema ainda é a melhor alternativa. Manter hábitos alimentares saudáveis, evitar álcool, cigarro e café, ter boas noites de sono, fazer exercícios físicos, além de ter um hobby que ajude como válvula de escape são maneiras de evitar o aparecimento do estresse como doença.

Nos casos em que é necessário utilizar tratamento medicamentoso, a médica conta que as opções terapêuticas são muito utilizadas. "Cada vez mais buscamos saídas terapêuticas fora do uso dos hormônios, pois eles têm potencial risco de tromboses e cânceres", salienta. "A homeopatia é muito bem indicada. O tratamento é eficaz e rápido, ao contrario do que todos pensam, além de ser mais barato que o alopático, e sem efeitos colaterais", ressalta.

Sobre o Sédatif PC- O laboratório Boiron já disponibiliza para o mercado brasileiro o Sédatif PC, medicamento homeopático indicado para prevenção e tratamento do estresse, ansiedade e distúrbios do sono. Ele é isento de prescrição e não possui contraindicações, por isso pode ser utilizado por adultos e crianças de todas as idades e até por gestantes. O medicamento possui seis princípios ativos associados, sendo que três atuam na esfera psíquica e três atuam na esfera física do indivíduo. O Sédatif PC auxilia no tratamento de tensões emocionais e mentais, nervosismo, inquietude e irritabilidade. Não é um sedativo e não causa sonolência.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

São Vicente realiza Campanha pelo Fim da Violência contra a Mulher


Fonte: Agência PMSV/Comunicação Foto: Divulgação

Evento segue até 10 de dezembro

Com o objetivo de mobilizar a população para o combate à violência cometida contra as mulheres, disseminar informações e buscar soluções para este problema, a Prefeitura de São Vicente, por meio da Assessoria Especial de Assuntos da Mulher (AEAM), promove a campanha 16 Dias de Ativismo. O evento começou no último sábado (20) e segue até o dia 10 de dezembro, com debates, manifestações públicas, exposições e eventos, abertos à participação de toda a sociedade.

Datas importantes integram a campanha durante como o Dia Nacional da Consciência Negra (20), Dia Internacional da Não-Violência contra as Mulheres (25), Dia Mundial de Combate à Aids (01/12), Dia Nacional da Mobilização dos Homens pelo Fim da Violência Contra a Mulher (06/12) e Dia Mundial dos Direitos Humanos (10/12).

A assessora Especial de Assuntos da Mulher de São Vicente, Lídia Ileck, ressalta a importância de iniciativas como esta para fomentar a luta contra a violência. “Levamos ao conhecimento da população informações importantes para diminuir estes atos que, infelizmente, ainda estão presentes na nossa sociedade. Assim, nós contribuímos para a diminuição da violência e o fortalecimento das famílias”.
Mobilização

A campanha foi criada em 1991 por feministas e movimentos de mulheres ligados ao Centro para Liderança Global das Mulheres (Center for Womens´s Global Leadership) e, atualmente, é realizada em 159 países. São Vicente realiza a segunda edição e conta com o apoio das secretarias de Transportes, Segurança e Defesa Social (Setrans), de Relações do Trabalho e Geração de Emprego e Renda (Seter), de Turismo (Setur), de Saúde (Sesau), de Segurança Alimentar e Combate à Fome (Sesea), de Cultura (Secult) e o Fundo Social de Solidariedade (FSS), além de Ongs e entidades.

De acordo com estatísticas e registros em delegacias especializadas para crimes contra a mulher, 70% dos incidentes acontecem dentro de casa e o agressor é o atual ou ex- marido ou companheiro.

Confira a programação da campanha:

22/11 – A Lei Maria da Penha e seus avanços
Das 8 às 17 horas
- Reuniões de educação em saúde em todas as UBS, ESF e EACS da Cidade, com os temas: Doenças prevalentes da raça negra, anemia falciforme, triagem neonatal, questio raça/cor.
19 horas
Palestra: A Violência Contra a Mulher e os Avanços da Lei Maria da Penha.
Palestrante: Delegada Rosmary Corrêa
Local: Câmara Municipal de São Vicente (Jacob Emmerich, 1.195 - Parque Bitaru).

23/11 - Oficina e Roda de Conversa
14 horas
- Oficinas e roda de conversa
Às 16 horas
Palestra: Eu SA e Nós e Companhia Ilimitada
Palestrante: Maria das Graças da Silva
Local: Associação de Moradores Náutica III (Av. Eduardo Dias Coelho, 687)

24/11 - Qualidade de Vida
Das 8 às 13 horas
- Verificação de pressão, caminhada, roda de conversa
- Palestra: Alimentação Saudável
Palestrante: Nicolas Aguiar Gonçalvez
Local: Sest/Senat (Praça Abalberto Panzan, s/n – Cidade Náutica)

14h30
Palestra: Políticas Públicas
Palestrante: João Carlos Guilhermino da Franca
Local: Casa dos Conselhos (Rua José Bonifácio, 404 - 8 andar – Centro)
25/11 - Dia Internacional da Não-Violência contra as Mulheres
Das 08 às 12 horas
- Pedágio Informativo nas ruas Tibiriça com Frei Gaspar, XV de novembro com Frei Gaspar e Jacob Emmerich com Martim Afonso.

19 horas
Palestra: Impactos da Violência na Família
Palestrante: Maria Antelma Ferraz de Mendonça Jensen
Local: Câmara Municipal de São Vicente (Rua Jacob Emmerich, 1195 - Parque Bitaru)

26/11 - Troca de informações 14 horas
- Oficina e roda de conversa
16 horas
Palestra: O amor me trouxe de Volta
Palestrante: Maria das Graças da Silva
Local: Associação Lar Cinderela (Rua Santo Antônio s/n - Jardim Guassu)

29/11 - Feira de Valorização da Mulher 14h30
Palestra: Projeto Economia Solidária
Palestrante: Elio Leite Silva
Local: Casa dos Conselhos (Rua José Bonifácio, 404 - 8 andar – Centro)
30/11 - Interação Informativa
15 horas
- Oficinas e roda de conversa.
17 horas
Palestra: Auto Estima da Mulher
Palestrante: Neuza Furtado
Local: Igreja Batista da Primeira (Av. Presidente Wilson, 1.437 – Centro)
01/12 – Dia Mundial de Luta Contra a AIDS
Fórum: Vulnerabilidade e Mulher
Local: Câmara Municipal de São Vicente (Rua Jacob Emmerich, 1.195 - Parque Bitaru)

12h30 - Recepção dos Participantes
13h00 - Mesa 1 - Vulnerabilidade e Mulher

Palestrante 1 - O que é vulnerabilidade?
Palestrante 2 - Aspectos específicos da vulnerabilidade em mulher
Palestrante 3 - A epidemia do HIV entre mulheres
15h00 – Intervalo
15h30 Mesa 2 - Estratégias para diminuir a vulnerabilidade nas mulheres.
Palestrante 1 - Lídia Ileck - 16 Dias de Ativismo
Palestrante 2 - LOBAS - prevenção de DST/Aids em mulheres
Palestrante 3 - Projetos com mulheres portadoras do HIV (Hipupiara/AIPS)
Palestrante 4 - SEAS

02/12 - A mulher advogada na sociedade
18 horas
Palestra: A Função da Comissão da Mulher Advogada na Sociedade
Palestrante: Dra. Fabíola Marques
Local: Plenário da Casa do Advogado da OAB/São Vicente (Rua Jacob Emmerich, 1.470 - Parque Bitaru)
Para participar deste evento, é necessário fazer inscrição pelo telefone (13) 3468-1707.

03/12 - Dinâmica em grupo
15 horas
Palestra: De onde vim, porque estou aqui e para onde vou
Palestrante: Maria das Graças da Silva
Local: Associação de Mães e Amigos dos Deficientes e Familiares - AMADEF (Rua Carijós, 1.131 - Jóquei Clube)

05/12 - Campanha Laço Branco
9 horas
- Caminhada da Campanha do Laço Branco
19 horas
Local concentração: Praça 22 de Janeiro (Centro).

06/12 - Dia Nacional da Mobilização dos Homens pelo Fim da Violência Contra a Mulher.
19 horas
- Culto em homenagem aos homens que lutam pelo fim da violência contra a mulher.
Local: Igreja Evangélica Assembléia de Deus do Belém (Rua Campos Sales, 222 - Centro)

07/12 - Gincana Informativa
9 horas
- Dança, teatro, feira de valorização, tenda para debate e oficina.
Local: Praça Coronel Lopes s/n- Centro

08/12 - Saúde da mulher
Das 8h às 17 horas
- Vulnerabilidade e Mulher
- Prevenção DST/Aids na Mulher
Local: Associação de Melhoramento do Parque Continental (Av. Cellula Mater, 920 - Pq. Continental)

09/12
17 horas
- Projetos que fizeram a diferença na vida de muitas mulheres vicentinas
Local: Igreja Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (Rua Ipiranga, 96 - Centro)

10/12 - Dia Mundial dos Direitos Humanos
15 horas
Palestra: Direitos Humanos
Palestrante: Naia Duarte
Palestra: O Direito de ter uma família
Palestrantes: Sandra Regina Pessoa de Meneses e Elizabeth Rovai de Souza.
Oficinas
Local: Igreja Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (Praça Carlos Araújo, 21- Vila Margarida)

domingo, 21 de novembro de 2010

DICAS PARA CONTROLAR OS SINTOMAS DA TPM COM A ALIMENTAÇÃO E HÁBITOS DE VIDA SAUDÁVEIS


Fonte: Da Redação

Uma dieta correta e a prática de atividade física podem acabar ou, pelo menos, ajudar a amenizar os sintomas causados pela tensão pré-menstrual

A TPM é um conjunto de sintomas físicos e comportamentais causados por alterações hormonais no período pré-menstrual, que alteram significativamente a vida da mulher. Nesse período é muito comum sintomas como irritabilidade, ansiedade, mau humor, indisposição, tensão nervosa, depressão, dores de cabeça e retenção de líquidos.


Com a chegada do verão, a preocupação feminina de entrar em forma e manter o corpo sarado até o final da temporada aumenta. Porém, quando chega a TPM, muitas vezes, as mulheres acabam ficando inchadas, ainda mais no verão, por causa da alta temperatura.

“Nós buscamos sempre alternativas naturais e saudáveis para o nosso consumidor, pois as pessoas que buscam os nossos produtos procuram um estilo de vida equilibrada físico e psicologicamente”, conta Rafael Yazbek, diretor de Comunicação e Marketing da Natural em Casa.

A nutricionista e colaboradora da Natural em Casa, Doutora Audrey Abe, preparou algumas dicas de alimentos que ajudam a minimizar os sintomas da TPM e acabar com a retenção de líquido e irritabilidade, que tanto incomoda as mulheres.

“A baixa serotonina – substância que traz sensação de bem-estar e prazer – pode ser controlada através do consumo de alimentos ricos em vitamina B6, magnésio e ácido fólico. Essas substâncias que ajudam a converter o triptofano em serotonina, melhorando a disposição e controlando a oscilação de humor”, explica a nutricionista.

Verifique na lista abaixo alimentos ricos em cada uma destas vitaminas e
minerais:


- Vitamina B6: cereais, banana, leguminosas (soja, grão de bico, feijão, lentilha), oleaginosas (nozes, castanhas).

- Magnésio: vegetais folhosos escuros, cereais integrais, oleaginosas.

- Ácido Fólico: vegetais folhosos escuros crus (rúcula, almeirão, escarola, couve).

- Triptofano: açaí, banana, damasco, cereais integrais.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

ANEL e Instituto Consulado da Mulher fecham parceria para Empreendimento Social no Guarujá

Fonte: Da Redação
Foto: Divulgação

O projeto tem por objetivo a construção de uma lavanderia comunitária

A Associação Nacional das Empresas de Lavanderia (ANEL) e o Instituto Consulado da Mulher, ação social da Consul acabam de fechar uma parceria para auxiliar no desenvolvimento do Projeto Lavanderia Solidária, que será implantado no bairro Vicente de Carvalho localizado no Guarujá, litoral de São Paulo.

O projeto tem por objetivo a construção de uma lavanderia comunitária, que além de oportunizar geração de renda para mulheres da região, fará capacitação de profissionais para esse segmento do mercado de trabalho.

O projeto de construção civil está sendo desenvolvido com o apoio da ANEL, que também irá contribuir com a capacitação para as mulheres beneficiadas e o fornecimento de pesquisas e avaliações de mercado para otimizar o atendimento da lavanderia.

Já ao Consulado da Mulher, caberá a implementação do projeto, que conta com a participação dos trainees corporativos da Whirlpool S.A. (mantenedora do Consulado), os quais estão responsáveis pela definição do plano de negócios do empreendimento.

"Parcerias com instituições de referência como a ANEL são muito importantes para complementar a iniciativa social do Consulado, e só reforçam a consistência dos resultados que a nossa metodologia de assessoria entrega. Estamos totalmente abertos a parcerias como esta, com entidades civis, da iniciativa pública ou privada, que possam aportar recursos e conhecimentos para tornar realidade a transformação social daquela comunidade." afirma Leda Böger, Diretora Executiva do Consulado da Mulher.

O Instituto Consulado da Mulher é uma ação social da marca Consul, que oferece assessoria a mulheres de baixa renda e pouca escolaridade. O objetivo é que, com sua atividade empreendedora, possam gerar renda e proporcionar melhores condições de vida a elas e suas famílias.

O Consulado da Mulher conta com uma metodologia própria de assessoria a empreendimentos populares, reconhecida pela Fundação Banco do Brasil, UNESCO e KPMG como uma tecnologia social, replicável, eficaz e que entrega os resultados aos quais se propõe.

Presente em 13 estados do País, o Consulado da Mulher assessora 174 empreendimentos populares, beneficiando diretamente 1.344 mulheres e suas famílias. Desde sua fundação, em 2002, o Consulado já beneficiou mais de 25 mil pessoas.

Em 2010, o Consulado da Mulher foi escolhido pela Clinton Global Initiative (CGI), do ex-presidente dos Estados Unidos Bill Clinton, para participar do encontro anual, em Nova York, e expor seu modelo de atuação. O Encontro Anual da CGI é reconhecido por reunir, entre outros participantes, chefes de Estado, vencedores de prêmios Nobel da Paz, executivos, líderes de ONGs de atuação mundial e formadores de opinião para planejar projetos específicos de enfrentamento dos desafios econômicos, ambientais e sociais mais urgentes da atualidade.

sábado, 6 de novembro de 2010

OBSERVATÓRIO DA VIOLÊNCIA DCM - Violência Oculta


Por: Nara Assunção
Foto: Divulgação

Com números que já assustam, porém longe da real situação, violência contra idosos acontece principalmente dentro de casa, mas números ainda estão distantes da realidade

A sociedade brasileira está passando por um processo de envelhecimento. Para se ter ideia, segundo o último levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), hoje são mais de 14,5 milhões de brasileiros acima de 60 anos. Daqui a 25 anos, esse número deve dobrar. Serão cerca de 30 milhões de idosos vivendo no Brasil. Em Santos, com população estimada em 410 mil habitantes, segundo o último censo, pessoas da Terceira Idade representam 17,62% da população, ou seja 72 mil pessoas, quando a média nacional é de 9% e a paulista, de 11,10%, conforme a Fundação Seade.

Com números expressivos, a cada dia aparecem novidades e projetos voltados para esta faixa etária, visando entretenimento e, principalmente, qualidade de vida. Porém, muitos idosos, pela fragilidade que se encontram, são vítimas de violência de diferentes formas, desde as psicológicas, que se manifestam pela negligência e pelo descaso, até as agressões físicas.

Aprovado pelo Congresso há sete anos, o Estatuto do Idoso garante à terceira idade toda a proteção e segurança. Conforme o artigo 3: é obrigação da família, da comunidade, da sociedade e do Poder Público assegurar ao idoso, com absoluta prioridade, a efetivação do direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, à cultura, ao esporte, ao lazer, ao trabalho, à cidadania, à liberdade, à dignidade, ao respeito e à convivência familiar e comunitária.
Agressão em números

Mas e quando a agressão vem de dentro de casa? Dos próprios parentes? Aqueles que deveriam, em primeiro lugar, garantir todos os direitos estabelecidos por lei. Uma realidade triste, porém atual. Segundo dados da Seção de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde (Seviep), 87,1% dos casos de violência contra idosos registrados no ano passado aconteceram dentro de casa. Para piorar, 45% dos responsáveis são os próprios filhos.

De todas as ocorrências de violência, em Santos, registradas pela Seviep no ano passado, 608 no total, 140 foram cometidas contra idosos. O pior é que as denúncias aumentam de acordo com a idade. De 60 a 69 anos, 34 casos foram registrados, sendo 18 homens e 16 mulheres. Já de 70 a 74, o número aumenta para 52 casos, destes 14 são homens e o registro entre mulheres sobe para 38. Em pessoas com mais de 80 anos, apareceram 54 casos, sendo 16 homens e 38 mulheres.

De acordo com as técnicas da Seviep, Maria da Conceição Santos Moraes e Vera Lúcia Rivas Caldas, a violência mais registrada é a negligência, com 119 casos, seguida da psicológica (6), física (3), financeira (3) e outras (9).

Os números, porém, estão longe da realidade. Desde 2006, quando a Seviep começou a trabalhar com as fichas de notificação, o número aumentou de 506 para 608 casos de violência.

A maioria das fichas (69,2%) vem do Conselho Municipal do Idoso (CMI). Apenas uma notificação foi realizada por hospitais particulares e três casos vieram de prontos-socorros, estes últimos registrados como casos de abandono.

Durante audiência pública realizada na Câmara de Santos sobre o tema, ocorrida no final de outubro, Janice da Silva Santos, responsável pela Seviep, informou que o sistema de notificação ainda é novo. "Muitos que trabalham diretamente com os idosos têm receios de preencher a ficha. Em quatro anos, já capacitamos 300 profissionais. Mas é apenas o começo", reconhece.

Para fazer a ficha, tanto de suspeita como de confirmação, é preciso que a pessoa seja treinada de modo a perceber agressões fisícas, psicológicas, sexual e de negligência, como roupa inadequada, maus hábitos de higiene pessoal, sinais de má nutrição e falta de cuidados médicos básicos.

Segundo a chefe de departamento da Seção de Vigilância em Saúde, Iraty Nunes Lima, o ideal é que funcione uma rede integrada de apoio psicológico, social e jurídico, dando total apoio aos idosos. "Na cidade já existe, inclusive casas de abrigo, porém ainda é preciso fortalecer esta rede", diz. "É importante que todos saibam que as fichas servem apenas como forma de mapear o problema e buscar políticas públicas sociais que contribuam para zerar estes casos", explica.

Para a presidente do CMI, Rosa Maria Testa, os serviços devem se completar para oferecer o apoio necessário às vítima. Até setembro passado, o conselho já realizou 87 notificações e 645 orientações. A maioria por abandono (30%) ou negligência (36,7%). "Encaminhamos cada caso para diferentes órgãos, como delegacia, hospitais e, principalmente o Seas (Secretaria de Assistência Social), que recentemente criou um núcleo apenas para tratar este assunto", diz.
"No ano passado, durante conferência elaboramos uma carta, junto com todos os participantes, com propostas para 2010. A intenção agora é captar todos os resultados para elaborarmos um plano municipal", explica.
Delegacia

Segundo o delegado Armando Reale Junior, da Delegacia de Proteção ao Idoso, as principais denúncias se referem ao artigo 99 do estatuto, que determina penalidades ao expor o perigo à integridade e à saúde, física ou psíquica do idoso, submetendo-o às condições desumanas ou degradantes ou privando-o de alimentos e cuidados indispensáveis, quando obrigado a fazê-lo, ou sujeitando-o a trabalho excessivo ou inadequado.

Desde 2009, quando começou a funcionar a delegacia, até outubro deste ano, 290 casos foram registrados. "A grande maioria acontece dentro de casa pelos parentes. Normalmente, os idosos pedem o afastamento do agressor. Muitos casos são os próprios filhos, que viciados em drogas ou com problemas financeiros, cometem abusos", explica.

De acordo com Armando, quando o idoso chega à delegacia ou envia representantes para fazer denúncias ou pedir ajuda, é que a situação está no extremo, por isso o número de violência deve ser ainda maior. "Registramos a denúncia e analisamos para tomar as melhores decisões, sempre pensando em preservar a saúde do idoso. Em alguns casos, o afastamento já resolve. Encaminhamos os envolvidos para os serviços sociais da prefeitura", ressalta.

É importante que todo cidadão que perceba algum tipo de violência contra o idoso denuncie para os órgãos responsáveis. A sociedade também pode participar do Conselho do Idoso, que realiza todas as segundas terças-feiras de cada mês reuniões sobre diferentes temas.
Nesta terça (9), às 21 horas, a reunião discutirá a Violência na Terceira Idade, como combatê-la e denunciar, com participação do promotor Roberto Mendes. As reuniões são abertas ao público em geral.
Onde denunciar?

Conselho Mun. do Idoso
Telefone: 3261-5508.
Endereço: Av. Alberto I, nº117, Ponta da Praia.
E-mail: cmi@santos.sp.gov.br

Delegacia de Polícia de Proteção ao Idoso
Telefone: 3228-6491
Endereço: Av. São Francisco, nº 136, 1º andar, Centro

Promotoria de Justiça Cível
Telefone: 3221-5722
Endereço: Rua Bittencourt, nº 141, 2º andar, Centro

Disk-denúncia 181