quinta-feira, 26 de agosto de 2010

ONG DCM - ALIMENTAÇÃO Baixa umidade do ar em SP: o que comer e o que evitar



Fonte: Divulgação/Barcelona Soluções

Sem previsão de chuvas na cidade nos próximos dias, médico dá dicas de como alimentação pode ajudar a combater e prevenir efeitos do clima seco

Para evitar problemas de saúde, sobretudo nos olhos, garanta e sistema respiratório devido à baixíssima umidade relativa do ar no estado de São Paulo (a capital atingiu 17% essa semana e alguma cidades chegaram a 12%), é preciso tomar alguns cuidados com o corpo e redobrar a atenção com a alimentação. De acordo com o Dr. Milton Mizumoto, médico nutrólogo da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN), alimentos que ajudam na hidratação do organismo são tão importantes quanto água, sucos e outros líquidos.

"Frutas ricas em líquido e legumes em abundância são opções mais adequadas nesses dias muito secos. Laranjas e outras frutas que são boas fontes de vitamina C também são importantes, pois essa vitamina ajuda a reduzir as crises de rinite, que se tornam mais frequentes com a baixa umidade", explica Mizumoto. Melão, melancia, espinafre e mirtilo (blueberry) também estão liberados.

Além disso, beber muito líquido é fundamental. A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda o consumo diário de 3,5 litros e 2,5 litros de água, respectivamente, para homens e mulheres adultos. "Mas com a umidade tão baixa, o ideal é beber ainda mais", recomenda o médico nutrólogo.

O que evitar

De acordo Mizumoto, alimentos de difícil digestão e com alto teor de sal (como carne seca, bacalhau e feijoada) não são boas opções, pois, embora despertem o mecanismo da sede, fazendo ingerir mais água, podem levar a quadros de hipertensão arterial a quem já está propenso. Já a hidratação pelo consumo de bebidas alcoólicas (como a cerveja) acarreta demanda de mais água pelo organismo, pois bebidas fermentadas exercem aumento da pressão osmolar no sangue.

Enquanto a chuva não vem, é bom evitar também alimentos apimentados, que estimulam a transpiração e, dessa forma, fazem o corpo eliminar mais água durante o dia. O médico nutrólogo também orienta que exercícios físicos e exposição ao ar livre sejam praticados antes das 10h ou após as 17h, nos horários em que as temperaturas estão mais amenas.

O que comer e o que evitar em dias muito secos

O que comer

Melancia
Laranja
Melão
Espinafre
Sucos de frutas naturais
Mirtilo (blueberry)
Pepino
Espinafre
Legumes em geral
Gelatinas
?gua de coco
Isot?nicos

===================
O que evitar

Bebidas alcoolicas
Carne seca
Feijoada
Bacalhoada
Alimentos com muito sal
Carne de churrasco

De acordo com a OMS, índices de umidade relativa do ar inferiores a 30% devem ser classificados como estado de atenção; abaixo de 20%, estado de alerta; e inferiores à 12%, estado de alerta máximo. No interior do Estado, algumas cidades chegaram a registrar índices de umidade relativa do ar em torno de 12%.

Alimentação na prevenção de doenças é tema de congresso médico

O papel da alimentação como aliada na prevenção de doenças, inclusive cardiorrespiratórias, é um dos temas que serão discutidos no XIV Congresso Brasileiro de Nutrologia, que acontece de 15 a 17 de setembro em São Paulo. O evento, promovido pela ABRAN, espera reunir este ano 2.500 médicos e profissionais de saúde e contará com painéis abertos ao público com dicas sobre alimentação e saúde. Informações www.abran.org.br/congresso

0 comentários:

Postar um comentário