Quem Somos

Conheça a Ong DCM

Doações

Saiba como fazer a sua doação

Seja um Voluntário!

Saiba como se tornar um voluntário

domingo, 26 de dezembro de 2010

BOAS FESTAS!!!


Foto: Divulgação

A ONG DCM - Defesa e Cidadania e Mulher deseja a todas as mulheres e todos os leitores do blog que recebem nossas notícias acerca do Universo Feminino via e-mail, via twitter. Este ano, nossa entidade obteve um excelente avanço.

Em 2010, conseguimos dar uma guinada no nosso projeto Construindo o Futuro, oferecendo renda a mulheres com a confecção de lindos materiais de decoração, moda, papelaria entre outros, feitos de fibra da folha e caule da bananeira.

Conseguimos certificados de entidade social. Enviamos muitos projetos para aprovação. Participamos de diversos prêmios regionais e nacionais. Nosso twitter, e-mail e site é um sucesso. Nossos voluntários estão sempre dispostos a nos ajudar, porém ainda necessitamos de mais ajuda.

Enfim...só temos a agradecer, pois o ano de 2011 está chegando com tudo!!!

Grata!

Equipe DCM
Ana Silvia Passberg de Amorim
Presidente

Carina Seles
Departamento de Comunicação
Coordenação de Projetos DCM

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

SAUDE DCM - Mulheres com câncer precisam receber informações sobre as opções para preservação da fertilidade


Fonte e foto: Divulgação/ Da Redação Pesquisas recentes da Sociedade Americana de Oncologia Clínica indicam que 70% dos oncologistas discutem perdas reprodutivas com seus pacientes, mas apenas 25% encaminham pacientes para um especialista em fertilidade

Pacientes que venceram o câncer, mas não receberam aconselhamento médico apropriado sobre as opções terapêuticas para preservar sua fertilidade, antes de iniciar seu tratamento oncológico, geralmente, tendem a lamentar tal fato, a longo prazo, e a apresentar uma insatisfação maior com a vida, em comparação com aquelas que receberam o aconselhamento sobre a preservação
da fertilidade. Os dados fazem parte de uma pesquisa apresentada por pesquisadores da Universidade da Califórnia, San Francisco, durante a 66ª Reunião Anual da Sociedade Americana de Medicina Reprodutiva.

Para realizar o trabalho, os cientistas entrevistaram 918 pacientes do sexo feminino em tratamento de câncer com potencial de afetar adversamente sua fertilidade, como a quimioterapia sistêmica e / ou radiação no abdômen ou na pélvis. Aquelas que não foram orientadas sobre a preservação da fertilidade pela equipe de Oncologia e não consultaram um especialista em fertilidade apresentaram níveis mais elevados de tristeza e de baixa satisfação com a vida em relação àquelas que receberam o aconselhamento ou o encaminhamento.

A pesquisa envolveu mulheres que tiveram câncer, no estado da Califórnia, com idades entre 18 e 40 anos, diagnosticadas entre 1993 e 2007. As pacientes haviam sido tratadas para leucemia, doença de Hodgkin, linfoma não-Hodgkin, câncer de mama e câncer gastrointestinal.

Após o término do tratamento oncológico, as mulheres eram convidadas a avaliar o aconselhamento pré-câncer que receberam, incluindo as decisões tomadas em relação à preservação de sua fertilidade. Entre as 499 mulheres que tinham sido aconselhadas sobre a preservação da fertilidade por uma equipe de Oncologia, o nível de arrependimento, em uma escala de 5 a 25, foi de 10,8%, comparado com 12,6%, entre as 278 mulheres que não haviam sido aconselhadas sobre o tema.

As 42 mulheres que tinham visitado uma instalação de preservação da fertilidade tinham um nível de pesar de 8,5%, comparado com um nível de 11,6%, entre as 726 que não tinham feito a visita.

As 31 mulheres que foram submetidas a tratamentos para preservação da fertilidade tinham um nível de arrependimento em relação à decisão de 6,5%, comparado com 11,6%, entre as 736 que não tinham se submetido aos procedimentos.

“Os dados desta pesquisa americana são muito relevantes, pois os resultados indicam que se as pacientes têm um papel ativo na decisão de preservar sua fertilidade e sua qualidade de vida, após o tratamento de câncer. Quando as pacientes podem optar por preservarem sua fertilidade, sua qualidade de vida pós-câncer é maior e os níveis de arrependimento são menores ", observa o Prof° Dr° Joji Ueno, ginecologista, diretor da Clínica Gera.

Menos férteis

Utilizando os dados da mesma pesquisa, os pesquisadores americanos analisaram também as taxas de fertilidade relatadas entre as pacientes curadas. Descobriram que cerca de metade das que tinham sido tratadas para a doença de Hodgkin e linfoma não-Hodgkin tiveram sua fertilidade prejudicada ou apresentaram menopausa precoce. Mesmo as mulheres que continuaram a apresentar ciclos menstruais regulares, durante a quimioterapia, apresentaram uma incidência muito maior de infertilidade.

Pesquisas recentes da Sociedade Americana de Oncologia Clínica, 70% dos oncologistas discutem perdas reprodutivas com seus pacientes, mas apenas 25% encaminham pacientes para um especialista de fertilidade. “Na experiência brasileira, percebemos que as referências à preservação da fertilidade do paciente com câncer estão aumentando, mas a conscientização entre os próprios médicos precisa ser maior. Os oncologistas devem deixar claro para
as pacientes que a preservação da fertilidade faz parte do tratamento do câncer. Se os médicos recomendam que as mulheres providenciem perucas para a eventual queda de cabelos por conta da quimioterapia, por que não conversar sobre aspectos reprodutivos que podem estar envolvidos?”, questiona Joji Ueno, Doutor em Ginecologia pela Faculdade de Medicina da USP.

Nas décadas de 80 e 90, o foco dos tratamentos oncológicos era apenas poupar a vida do paciente. Hoje, com taxas de sucesso significativamente maiores, “já podemos pensar no paciente como um todo e na qualidade de vida que eles terão após o tratamento oncológico. Quando encaminhados para os serviços de preservação da fertilidade, nem sempre, os pacientes optam por uma das alternativas terapêuticas, por uma série de razões, mas mesmo assim, a referência do oncologista ainda é muito importante”, reforça o diretor da Clínica Gera.

ONG DCM SAÚDE - Próteses de silicone: evolução justifica o maior interesse

Fonte e foto: Divulgação/ Da Redação

Devido a evolução das próteses, hoje, é possível esculpir o busto da maneira
desejada, com o colo mais ou menos projetado, com um formato mais ou menos
insinuante

Segundo pesquisa realizada pelo IBOPE Inteligência sobre o mercado da cirurgia plástica no Brasil, foram feitas 645.464 cirurgias plásticas, em 2009, no Brasil. Desse total, 443.145 foram cirurgias estéticas (69%) e 202.319 cirurgias reparadoras (31%). As mulheres são as que mais se submetem aos procedimentos (82%) num total de 526.247 intervenções. As cirurgias de
lipoaspiração correspondem a 29% e de mama 19%. Do número total de implantes de silicone, 99% são feitos por pessoas do sexo feminino e 1% do sexo masculino.

Das 156.918 mulheres que colocaram próteses, 91% foram nas mamas, 5% nos glúteos, 2% no queixo e 1% nas panturrilhas. Nos homens, a maioria das 1.793 próteses de silicone foi implantada no peitoral (46%), no queixo (21%), nos glúteos (18%), nas panturrilhas (8%), nos bíceps (5%) e tríceps (2%). A maioria das cirurgias de mama (mamoplastias) é de procedimentos estéticos, enquanto que as cirurgias reparadoras correspondem a 9%. A média dos
implantes mamários é de 275 ml, porém o de 300 ml, o mais utilizado, alcançou (20%).

O grande interesse pelas mamoplastias de aumento tem a ver com a evolução das próteses de silicone, desde que surgiram na década de 60, e das técnicas cirúrgicas, nos últimos tempos. As grandes pesquisas sobre o assunto começaram na década de 70 com o intuito de tornar os resultados mais naturais. Mas os estudos decisivos aconteceram nos anos 80 e 90, quando o
formato e a textura dos implantes foram aprimorados.

Nesta década, a tecnologia continuou evoluindo e o material da prótese, antes liso – o que poderia provocar irregularidades –, foi substituído por outro – rugoso, também de silicone. “O gel interno, que antes era líquido, se escapasse podia se espalhar pelos órgãos e se misturar à corrente sanguínea, o que poderia causar infecções graves. Agora, a prótese é
recheada de gel, que não se mistura à corrente sangüínea, num caso excepcional de vazamento”, explica o cirurgião plástico, Ruben Penteado, diretor do Centro de Medicina Integrada.

Devido a toda esta evolução, hoje, é possível esculpir o busto da maneira desejada, com o colo mais ou menos projetado, com um formato mais ou menos insinuante... “Hoje, a técnica cirúrgica apresenta menos riscos, como o de redução de contratura capsular, popularmente chamada de encapsulamento. O problema acontece quando a membrana que se forma naturalmente ao redor da prótese se contrai, deixando a mama mais arredondada, dura, com aparência artificial e dolorida. Felizmente, quadros como esse são cada vez mais raros devido às novidades para facilitar e modernizar os procedimentos”, diz Ruben Penteado.

O formato da prótese de silicone também passou por mudanças. Primeiro, veio a forma redonda; depois, o formato de gota. Agora, temos como opção a forma cônica. “Como o próprio nome diz, ela lembra um cone por causa da base reta e larga e das laterais que vão afinando em direção à aréola. O desenho, que foi inspirado no sutiã de enchimento, deixa o resultado mais discreto e
projeta o mamilo”, explica o diretor do Centro de Medicina Integrada.

A prótese de perfil cônico só não é recomendada para quem sonha com mamas grandes e redondas, mas adequasse bem aos planos de quem deseja um resultado mais natural, pois suas bordas finas oferecem uma transição suave com a caixa torácica, evitando, assim, degraus visíveis, que evidenciam que a mulher foi operada e tem próteses de silicone.

“Independentemente do modelo de prótese escolhido, para que o resultado final fique natural, é preciso levar em conta uma série de critérios, como as proporções de cada paciente e a quantidade de pele disponível para cobrir o silicone”, explica Ruben Penteado, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

Outra novidade para moldar os seios são as próteses com palpação mais suave, que contém um gel altamente coesivo de silicone, com textura de gelatina. “Este tipo de prótese também aumenta o busto sem deixá-lo duro ou artificial. Com esse implante, a mama fica tão macia ao toque quanto uma que não foi operada”, informa o cirurgião plástico.

Evolução com saúde

A evolução do silicone foi essencial para reduzir os casos de vazamento e de contratura capsular. E os números provam isso: no início, quando o material era líquido, a cada cem implantes realizados, um ficava duro. Mais tarde, quando ele se tornou gelatinoso, apenas uma prótese a cada mil colocadas endurecia. “Hoje, devido ao aprimoramento do material, a chance de
encapsulamento é mínima, menor que 1%. Mas a paciente precisa ser alertada que qualquer prótese pode ser rejeitada pelo organismo”, destaca o médico.

Não dá para falar em evolução na cirurgia dos seios sem mencionar as técnicas cirúrgicas utilizadas. “A por via axilar apresenta um pós-operatório mais delicado, mas é muito procurada por jovens que querem aumentar o busto, sem mexer nas aréolas. Após a anestesia, o médico faz uma incisão de três a quatro centímetros na dobra da axila e introduz o implante”, diz Ruben Penteado. Existem ainda outros dois tipos de cortes: o chamado aerolar e a sub-mamário.

A tecnologia também chegou ao pós-operatório. Hoje, contamos com adesivos que podem auxiliar na hora da sutura, garantindo uma cicatriz mais discreta. “Ao término da cirurgia, uma tela autoadesiva de poliéster é colocada sobre o corte e, por cima dela, um adesivo cutâneo líquido com proteção bacteriana. Esse curativo reduz em meia hora a cirurgia, pode ser molhado,
não precisa ser trocado e é retirado após 15 dias. Também é uma opção para as pacientes alérgicas ao micropore”, diz o cirurgião plástico.

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Mulheres: estresse aumenta risco de câncer, infecções e depressão


Fonte e foto: Divulgação

Medicamentos homeopáticos são seguros e eficazes, afirma especialista


Mulheres com estresse apresentam risco maior de desenvolver câncer, infecções e depressão. É o que afirma a Dra. Carla Realti, médica especialista em ginecologia pelo Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo. Ela explica que, quando estão estressadas, as mulheres produzem um hormônio chamado cortisol, que aumenta as chances de desenvolvimento de doenças.

"Atualmente, as mulheres têm uma rotina muito agitada, com jornada tripla de trabalho, casa e filhos, tudo isso favorece o estresse", aponta a médica. Ela esclarece que os fatores hormonais, nutricionais e psíquicos também podem predispor ao problema.

Em relação às famosas TPM e menopausa, a Dra. Realti explica que elas não favorecem a doença. "Normalmente, mulheres que têm TPM grave são pacientes já deprimidas ou com distúrbio de ansiedade generalizada, nas quais a oscilação hormonal piora o quadro psiquiátrico já existente, e não o contrario. TPM e menopausa não são causas do estresse, apenas acentuam distúrbios latentes nestas mulheres que já apresentam alterações psiquiátricas", conclui.

De acordo com a ginecologista, prevenir o problema ainda é a melhor alternativa. Manter hábitos alimentares saudáveis, evitar álcool, cigarro e café, ter boas noites de sono, fazer exercícios físicos, além de ter um hobby que ajude como válvula de escape são maneiras de evitar o aparecimento do estresse como doença.

Nos casos em que é necessário utilizar tratamento medicamentoso, a médica conta que as opções terapêuticas são muito utilizadas. "Cada vez mais buscamos saídas terapêuticas fora do uso dos hormônios, pois eles têm potencial risco de tromboses e cânceres", salienta. "A homeopatia é muito bem indicada. O tratamento é eficaz e rápido, ao contrario do que todos pensam, além de ser mais barato que o alopático, e sem efeitos colaterais", ressalta.

Sobre o Sédatif PC- O laboratório Boiron já disponibiliza para o mercado brasileiro o Sédatif PC, medicamento homeopático indicado para prevenção e tratamento do estresse, ansiedade e distúrbios do sono. Ele é isento de prescrição e não possui contraindicações, por isso pode ser utilizado por adultos e crianças de todas as idades e até por gestantes. O medicamento possui seis princípios ativos associados, sendo que três atuam na esfera psíquica e três atuam na esfera física do indivíduo. O Sédatif PC auxilia no tratamento de tensões emocionais e mentais, nervosismo, inquietude e irritabilidade. Não é um sedativo e não causa sonolência.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

São Vicente realiza Campanha pelo Fim da Violência contra a Mulher


Fonte: Agência PMSV/Comunicação Foto: Divulgação

Evento segue até 10 de dezembro

Com o objetivo de mobilizar a população para o combate à violência cometida contra as mulheres, disseminar informações e buscar soluções para este problema, a Prefeitura de São Vicente, por meio da Assessoria Especial de Assuntos da Mulher (AEAM), promove a campanha 16 Dias de Ativismo. O evento começou no último sábado (20) e segue até o dia 10 de dezembro, com debates, manifestações públicas, exposições e eventos, abertos à participação de toda a sociedade.

Datas importantes integram a campanha durante como o Dia Nacional da Consciência Negra (20), Dia Internacional da Não-Violência contra as Mulheres (25), Dia Mundial de Combate à Aids (01/12), Dia Nacional da Mobilização dos Homens pelo Fim da Violência Contra a Mulher (06/12) e Dia Mundial dos Direitos Humanos (10/12).

A assessora Especial de Assuntos da Mulher de São Vicente, Lídia Ileck, ressalta a importância de iniciativas como esta para fomentar a luta contra a violência. “Levamos ao conhecimento da população informações importantes para diminuir estes atos que, infelizmente, ainda estão presentes na nossa sociedade. Assim, nós contribuímos para a diminuição da violência e o fortalecimento das famílias”.
Mobilização

A campanha foi criada em 1991 por feministas e movimentos de mulheres ligados ao Centro para Liderança Global das Mulheres (Center for Womens´s Global Leadership) e, atualmente, é realizada em 159 países. São Vicente realiza a segunda edição e conta com o apoio das secretarias de Transportes, Segurança e Defesa Social (Setrans), de Relações do Trabalho e Geração de Emprego e Renda (Seter), de Turismo (Setur), de Saúde (Sesau), de Segurança Alimentar e Combate à Fome (Sesea), de Cultura (Secult) e o Fundo Social de Solidariedade (FSS), além de Ongs e entidades.

De acordo com estatísticas e registros em delegacias especializadas para crimes contra a mulher, 70% dos incidentes acontecem dentro de casa e o agressor é o atual ou ex- marido ou companheiro.

Confira a programação da campanha:

22/11 – A Lei Maria da Penha e seus avanços
Das 8 às 17 horas
- Reuniões de educação em saúde em todas as UBS, ESF e EACS da Cidade, com os temas: Doenças prevalentes da raça negra, anemia falciforme, triagem neonatal, questio raça/cor.
19 horas
Palestra: A Violência Contra a Mulher e os Avanços da Lei Maria da Penha.
Palestrante: Delegada Rosmary Corrêa
Local: Câmara Municipal de São Vicente (Jacob Emmerich, 1.195 - Parque Bitaru).

23/11 - Oficina e Roda de Conversa
14 horas
- Oficinas e roda de conversa
Às 16 horas
Palestra: Eu SA e Nós e Companhia Ilimitada
Palestrante: Maria das Graças da Silva
Local: Associação de Moradores Náutica III (Av. Eduardo Dias Coelho, 687)

24/11 - Qualidade de Vida
Das 8 às 13 horas
- Verificação de pressão, caminhada, roda de conversa
- Palestra: Alimentação Saudável
Palestrante: Nicolas Aguiar Gonçalvez
Local: Sest/Senat (Praça Abalberto Panzan, s/n – Cidade Náutica)

14h30
Palestra: Políticas Públicas
Palestrante: João Carlos Guilhermino da Franca
Local: Casa dos Conselhos (Rua José Bonifácio, 404 - 8 andar – Centro)
25/11 - Dia Internacional da Não-Violência contra as Mulheres
Das 08 às 12 horas
- Pedágio Informativo nas ruas Tibiriça com Frei Gaspar, XV de novembro com Frei Gaspar e Jacob Emmerich com Martim Afonso.

19 horas
Palestra: Impactos da Violência na Família
Palestrante: Maria Antelma Ferraz de Mendonça Jensen
Local: Câmara Municipal de São Vicente (Rua Jacob Emmerich, 1195 - Parque Bitaru)

26/11 - Troca de informações 14 horas
- Oficina e roda de conversa
16 horas
Palestra: O amor me trouxe de Volta
Palestrante: Maria das Graças da Silva
Local: Associação Lar Cinderela (Rua Santo Antônio s/n - Jardim Guassu)

29/11 - Feira de Valorização da Mulher 14h30
Palestra: Projeto Economia Solidária
Palestrante: Elio Leite Silva
Local: Casa dos Conselhos (Rua José Bonifácio, 404 - 8 andar – Centro)
30/11 - Interação Informativa
15 horas
- Oficinas e roda de conversa.
17 horas
Palestra: Auto Estima da Mulher
Palestrante: Neuza Furtado
Local: Igreja Batista da Primeira (Av. Presidente Wilson, 1.437 – Centro)
01/12 – Dia Mundial de Luta Contra a AIDS
Fórum: Vulnerabilidade e Mulher
Local: Câmara Municipal de São Vicente (Rua Jacob Emmerich, 1.195 - Parque Bitaru)

12h30 - Recepção dos Participantes
13h00 - Mesa 1 - Vulnerabilidade e Mulher

Palestrante 1 - O que é vulnerabilidade?
Palestrante 2 - Aspectos específicos da vulnerabilidade em mulher
Palestrante 3 - A epidemia do HIV entre mulheres
15h00 – Intervalo
15h30 Mesa 2 - Estratégias para diminuir a vulnerabilidade nas mulheres.
Palestrante 1 - Lídia Ileck - 16 Dias de Ativismo
Palestrante 2 - LOBAS - prevenção de DST/Aids em mulheres
Palestrante 3 - Projetos com mulheres portadoras do HIV (Hipupiara/AIPS)
Palestrante 4 - SEAS

02/12 - A mulher advogada na sociedade
18 horas
Palestra: A Função da Comissão da Mulher Advogada na Sociedade
Palestrante: Dra. Fabíola Marques
Local: Plenário da Casa do Advogado da OAB/São Vicente (Rua Jacob Emmerich, 1.470 - Parque Bitaru)
Para participar deste evento, é necessário fazer inscrição pelo telefone (13) 3468-1707.

03/12 - Dinâmica em grupo
15 horas
Palestra: De onde vim, porque estou aqui e para onde vou
Palestrante: Maria das Graças da Silva
Local: Associação de Mães e Amigos dos Deficientes e Familiares - AMADEF (Rua Carijós, 1.131 - Jóquei Clube)

05/12 - Campanha Laço Branco
9 horas
- Caminhada da Campanha do Laço Branco
19 horas
Local concentração: Praça 22 de Janeiro (Centro).

06/12 - Dia Nacional da Mobilização dos Homens pelo Fim da Violência Contra a Mulher.
19 horas
- Culto em homenagem aos homens que lutam pelo fim da violência contra a mulher.
Local: Igreja Evangélica Assembléia de Deus do Belém (Rua Campos Sales, 222 - Centro)

07/12 - Gincana Informativa
9 horas
- Dança, teatro, feira de valorização, tenda para debate e oficina.
Local: Praça Coronel Lopes s/n- Centro

08/12 - Saúde da mulher
Das 8h às 17 horas
- Vulnerabilidade e Mulher
- Prevenção DST/Aids na Mulher
Local: Associação de Melhoramento do Parque Continental (Av. Cellula Mater, 920 - Pq. Continental)

09/12
17 horas
- Projetos que fizeram a diferença na vida de muitas mulheres vicentinas
Local: Igreja Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (Rua Ipiranga, 96 - Centro)

10/12 - Dia Mundial dos Direitos Humanos
15 horas
Palestra: Direitos Humanos
Palestrante: Naia Duarte
Palestra: O Direito de ter uma família
Palestrantes: Sandra Regina Pessoa de Meneses e Elizabeth Rovai de Souza.
Oficinas
Local: Igreja Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (Praça Carlos Araújo, 21- Vila Margarida)

domingo, 21 de novembro de 2010

DICAS PARA CONTROLAR OS SINTOMAS DA TPM COM A ALIMENTAÇÃO E HÁBITOS DE VIDA SAUDÁVEIS


Fonte: Da Redação

Uma dieta correta e a prática de atividade física podem acabar ou, pelo menos, ajudar a amenizar os sintomas causados pela tensão pré-menstrual

A TPM é um conjunto de sintomas físicos e comportamentais causados por alterações hormonais no período pré-menstrual, que alteram significativamente a vida da mulher. Nesse período é muito comum sintomas como irritabilidade, ansiedade, mau humor, indisposição, tensão nervosa, depressão, dores de cabeça e retenção de líquidos.


Com a chegada do verão, a preocupação feminina de entrar em forma e manter o corpo sarado até o final da temporada aumenta. Porém, quando chega a TPM, muitas vezes, as mulheres acabam ficando inchadas, ainda mais no verão, por causa da alta temperatura.

“Nós buscamos sempre alternativas naturais e saudáveis para o nosso consumidor, pois as pessoas que buscam os nossos produtos procuram um estilo de vida equilibrada físico e psicologicamente”, conta Rafael Yazbek, diretor de Comunicação e Marketing da Natural em Casa.

A nutricionista e colaboradora da Natural em Casa, Doutora Audrey Abe, preparou algumas dicas de alimentos que ajudam a minimizar os sintomas da TPM e acabar com a retenção de líquido e irritabilidade, que tanto incomoda as mulheres.

“A baixa serotonina – substância que traz sensação de bem-estar e prazer – pode ser controlada através do consumo de alimentos ricos em vitamina B6, magnésio e ácido fólico. Essas substâncias que ajudam a converter o triptofano em serotonina, melhorando a disposição e controlando a oscilação de humor”, explica a nutricionista.

Verifique na lista abaixo alimentos ricos em cada uma destas vitaminas e
minerais:


- Vitamina B6: cereais, banana, leguminosas (soja, grão de bico, feijão, lentilha), oleaginosas (nozes, castanhas).

- Magnésio: vegetais folhosos escuros, cereais integrais, oleaginosas.

- Ácido Fólico: vegetais folhosos escuros crus (rúcula, almeirão, escarola, couve).

- Triptofano: açaí, banana, damasco, cereais integrais.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

ANEL e Instituto Consulado da Mulher fecham parceria para Empreendimento Social no Guarujá

Fonte: Da Redação
Foto: Divulgação

O projeto tem por objetivo a construção de uma lavanderia comunitária

A Associação Nacional das Empresas de Lavanderia (ANEL) e o Instituto Consulado da Mulher, ação social da Consul acabam de fechar uma parceria para auxiliar no desenvolvimento do Projeto Lavanderia Solidária, que será implantado no bairro Vicente de Carvalho localizado no Guarujá, litoral de São Paulo.

O projeto tem por objetivo a construção de uma lavanderia comunitária, que além de oportunizar geração de renda para mulheres da região, fará capacitação de profissionais para esse segmento do mercado de trabalho.

O projeto de construção civil está sendo desenvolvido com o apoio da ANEL, que também irá contribuir com a capacitação para as mulheres beneficiadas e o fornecimento de pesquisas e avaliações de mercado para otimizar o atendimento da lavanderia.

Já ao Consulado da Mulher, caberá a implementação do projeto, que conta com a participação dos trainees corporativos da Whirlpool S.A. (mantenedora do Consulado), os quais estão responsáveis pela definição do plano de negócios do empreendimento.

"Parcerias com instituições de referência como a ANEL são muito importantes para complementar a iniciativa social do Consulado, e só reforçam a consistência dos resultados que a nossa metodologia de assessoria entrega. Estamos totalmente abertos a parcerias como esta, com entidades civis, da iniciativa pública ou privada, que possam aportar recursos e conhecimentos para tornar realidade a transformação social daquela comunidade." afirma Leda Böger, Diretora Executiva do Consulado da Mulher.

O Instituto Consulado da Mulher é uma ação social da marca Consul, que oferece assessoria a mulheres de baixa renda e pouca escolaridade. O objetivo é que, com sua atividade empreendedora, possam gerar renda e proporcionar melhores condições de vida a elas e suas famílias.

O Consulado da Mulher conta com uma metodologia própria de assessoria a empreendimentos populares, reconhecida pela Fundação Banco do Brasil, UNESCO e KPMG como uma tecnologia social, replicável, eficaz e que entrega os resultados aos quais se propõe.

Presente em 13 estados do País, o Consulado da Mulher assessora 174 empreendimentos populares, beneficiando diretamente 1.344 mulheres e suas famílias. Desde sua fundação, em 2002, o Consulado já beneficiou mais de 25 mil pessoas.

Em 2010, o Consulado da Mulher foi escolhido pela Clinton Global Initiative (CGI), do ex-presidente dos Estados Unidos Bill Clinton, para participar do encontro anual, em Nova York, e expor seu modelo de atuação. O Encontro Anual da CGI é reconhecido por reunir, entre outros participantes, chefes de Estado, vencedores de prêmios Nobel da Paz, executivos, líderes de ONGs de atuação mundial e formadores de opinião para planejar projetos específicos de enfrentamento dos desafios econômicos, ambientais e sociais mais urgentes da atualidade.

sábado, 6 de novembro de 2010

OBSERVATÓRIO DA VIOLÊNCIA DCM - Violência Oculta


Por: Nara Assunção
Foto: Divulgação

Com números que já assustam, porém longe da real situação, violência contra idosos acontece principalmente dentro de casa, mas números ainda estão distantes da realidade

A sociedade brasileira está passando por um processo de envelhecimento. Para se ter ideia, segundo o último levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), hoje são mais de 14,5 milhões de brasileiros acima de 60 anos. Daqui a 25 anos, esse número deve dobrar. Serão cerca de 30 milhões de idosos vivendo no Brasil. Em Santos, com população estimada em 410 mil habitantes, segundo o último censo, pessoas da Terceira Idade representam 17,62% da população, ou seja 72 mil pessoas, quando a média nacional é de 9% e a paulista, de 11,10%, conforme a Fundação Seade.

Com números expressivos, a cada dia aparecem novidades e projetos voltados para esta faixa etária, visando entretenimento e, principalmente, qualidade de vida. Porém, muitos idosos, pela fragilidade que se encontram, são vítimas de violência de diferentes formas, desde as psicológicas, que se manifestam pela negligência e pelo descaso, até as agressões físicas.

Aprovado pelo Congresso há sete anos, o Estatuto do Idoso garante à terceira idade toda a proteção e segurança. Conforme o artigo 3: é obrigação da família, da comunidade, da sociedade e do Poder Público assegurar ao idoso, com absoluta prioridade, a efetivação do direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, à cultura, ao esporte, ao lazer, ao trabalho, à cidadania, à liberdade, à dignidade, ao respeito e à convivência familiar e comunitária.
Agressão em números

Mas e quando a agressão vem de dentro de casa? Dos próprios parentes? Aqueles que deveriam, em primeiro lugar, garantir todos os direitos estabelecidos por lei. Uma realidade triste, porém atual. Segundo dados da Seção de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde (Seviep), 87,1% dos casos de violência contra idosos registrados no ano passado aconteceram dentro de casa. Para piorar, 45% dos responsáveis são os próprios filhos.

De todas as ocorrências de violência, em Santos, registradas pela Seviep no ano passado, 608 no total, 140 foram cometidas contra idosos. O pior é que as denúncias aumentam de acordo com a idade. De 60 a 69 anos, 34 casos foram registrados, sendo 18 homens e 16 mulheres. Já de 70 a 74, o número aumenta para 52 casos, destes 14 são homens e o registro entre mulheres sobe para 38. Em pessoas com mais de 80 anos, apareceram 54 casos, sendo 16 homens e 38 mulheres.

De acordo com as técnicas da Seviep, Maria da Conceição Santos Moraes e Vera Lúcia Rivas Caldas, a violência mais registrada é a negligência, com 119 casos, seguida da psicológica (6), física (3), financeira (3) e outras (9).

Os números, porém, estão longe da realidade. Desde 2006, quando a Seviep começou a trabalhar com as fichas de notificação, o número aumentou de 506 para 608 casos de violência.

A maioria das fichas (69,2%) vem do Conselho Municipal do Idoso (CMI). Apenas uma notificação foi realizada por hospitais particulares e três casos vieram de prontos-socorros, estes últimos registrados como casos de abandono.

Durante audiência pública realizada na Câmara de Santos sobre o tema, ocorrida no final de outubro, Janice da Silva Santos, responsável pela Seviep, informou que o sistema de notificação ainda é novo. "Muitos que trabalham diretamente com os idosos têm receios de preencher a ficha. Em quatro anos, já capacitamos 300 profissionais. Mas é apenas o começo", reconhece.

Para fazer a ficha, tanto de suspeita como de confirmação, é preciso que a pessoa seja treinada de modo a perceber agressões fisícas, psicológicas, sexual e de negligência, como roupa inadequada, maus hábitos de higiene pessoal, sinais de má nutrição e falta de cuidados médicos básicos.

Segundo a chefe de departamento da Seção de Vigilância em Saúde, Iraty Nunes Lima, o ideal é que funcione uma rede integrada de apoio psicológico, social e jurídico, dando total apoio aos idosos. "Na cidade já existe, inclusive casas de abrigo, porém ainda é preciso fortalecer esta rede", diz. "É importante que todos saibam que as fichas servem apenas como forma de mapear o problema e buscar políticas públicas sociais que contribuam para zerar estes casos", explica.

Para a presidente do CMI, Rosa Maria Testa, os serviços devem se completar para oferecer o apoio necessário às vítima. Até setembro passado, o conselho já realizou 87 notificações e 645 orientações. A maioria por abandono (30%) ou negligência (36,7%). "Encaminhamos cada caso para diferentes órgãos, como delegacia, hospitais e, principalmente o Seas (Secretaria de Assistência Social), que recentemente criou um núcleo apenas para tratar este assunto", diz.
"No ano passado, durante conferência elaboramos uma carta, junto com todos os participantes, com propostas para 2010. A intenção agora é captar todos os resultados para elaborarmos um plano municipal", explica.
Delegacia

Segundo o delegado Armando Reale Junior, da Delegacia de Proteção ao Idoso, as principais denúncias se referem ao artigo 99 do estatuto, que determina penalidades ao expor o perigo à integridade e à saúde, física ou psíquica do idoso, submetendo-o às condições desumanas ou degradantes ou privando-o de alimentos e cuidados indispensáveis, quando obrigado a fazê-lo, ou sujeitando-o a trabalho excessivo ou inadequado.

Desde 2009, quando começou a funcionar a delegacia, até outubro deste ano, 290 casos foram registrados. "A grande maioria acontece dentro de casa pelos parentes. Normalmente, os idosos pedem o afastamento do agressor. Muitos casos são os próprios filhos, que viciados em drogas ou com problemas financeiros, cometem abusos", explica.

De acordo com Armando, quando o idoso chega à delegacia ou envia representantes para fazer denúncias ou pedir ajuda, é que a situação está no extremo, por isso o número de violência deve ser ainda maior. "Registramos a denúncia e analisamos para tomar as melhores decisões, sempre pensando em preservar a saúde do idoso. Em alguns casos, o afastamento já resolve. Encaminhamos os envolvidos para os serviços sociais da prefeitura", ressalta.

É importante que todo cidadão que perceba algum tipo de violência contra o idoso denuncie para os órgãos responsáveis. A sociedade também pode participar do Conselho do Idoso, que realiza todas as segundas terças-feiras de cada mês reuniões sobre diferentes temas.
Nesta terça (9), às 21 horas, a reunião discutirá a Violência na Terceira Idade, como combatê-la e denunciar, com participação do promotor Roberto Mendes. As reuniões são abertas ao público em geral.
Onde denunciar?

Conselho Mun. do Idoso
Telefone: 3261-5508.
Endereço: Av. Alberto I, nº117, Ponta da Praia.
E-mail: cmi@santos.sp.gov.br

Delegacia de Polícia de Proteção ao Idoso
Telefone: 3228-6491
Endereço: Av. São Francisco, nº 136, 1º andar, Centro

Promotoria de Justiça Cível
Telefone: 3221-5722
Endereço: Rua Bittencourt, nº 141, 2º andar, Centro

Disk-denúncia 181

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Fome diminui no Brasil, mas cresce no mundo


Fonte: Da Agência Brasil Foto: Divulgação

A maior participação da sociedade civil na elaboração de políticas públicas para alimentação e diminuição da pobreza são fatores que fazem com que o Brasil tenha motivos para comemorar o Dia Mundial da Alimentação, de acordo com a conselheira do Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea), Elisabetta Recini.

Entre 1995 e 2008, a pobreza absoluta (rendimento médio domiciliar per capita até meio salário mínimo mensal) caiu 33,6% no país, o que significa que 12,8 milhões de pessoas aumentaram seu rendimento. No mesmo período, 13,1 milhões de brasileiros superaram pobreza extrema (rendimento médio domiciliar per capita de até um quarto de salário mínimo mensal), diminuindo em 49,8% a quantidade de pessoas nessa condição. Os dados são do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

Como conquista na área neste ano, a conselheira citou a aprovação da Emenda Constitucional 64, que inclui a alimentação entre os direitos sociais estabelecidos na Constituição Federal e a assinatura da Política Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional. Este documento define estratégias para assegurar a alimentação adequada e saudável em todo o país.

Outro motivo de comemoração destacado pela conselheira é o aumento da participação de setores civis, como indígenas, quilombolas e pesquisadores acadêmicos, na formulação das políticas públicas de alimentação por meio do Consea.

O cenário mundial, no entanto, não remete ao otimismo. Segundo o representante da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), Gustavo Chianca, em 2009, o número de pessoas que passam fome no mundo chegou a 1 bilhão em consequência da crise financeira mundial. “Nunca houve tanta gente passando fome no mundo”, disse.

Em protesto contra o aumento da pobreza, a FAO divulgou um documento que pede aos governantes que priorizem a erradicação da fome. O projeto One Billion Hungry (Um Bilhão de Pessoas com Fome) tem 1 milhão de assinaturas em todo o mundo. O Brasil é o terceiro país que mais colaborou, com aproximadamente 115 mil assinantes.

Segundo o coordenador de ações internacionais de combate à Fome do Itamaraty, Milton Rondó Filho, o Haiti é o país que mais recebe recursos do governo brasileiro destinado à ajuda humanitária internacional. Só este ano foram destinados US$ 265 milhões para os haitianos, enquanto todos os outros países que receberam ajuda brasileira receberam US$ 50 milhões.

sábado, 23 de outubro de 2010

ONG DCM SAÚDE - Colesterol: o perigo invisível


Fonte e foto: Divulgação

Sem apresentar sintomas, o colesterol alterado só pode ser diagnosticado através de exames periódicos

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 20% da população apresenta o colesterol LDL acima do ideal. Aqui no Brasil, este problema atinge de 12% a 15% da população - aproximadamente 22 milhões de pessoas. Um número bastante significativo, já que níveis altos de colesterol aumentam o risco de desenvolver doenças coronarianas, que ocorrem quando há a obstrução dos vasos sanguíneos pelo o acúmulo de gordura depositado nas artérias coronarianas.

Mas para combater o inimigo, é preciso conhecê-lo de perto. Existem dois tipos principais de colesterol. O HDL, conhecido como o colesterol bom, remove o excesso de colesterol no sangue, o que reduz o risco de formação das camadas de gordura. Já o LDL, o colesterol ruim, é o responsável direto pela formação destas camadas de gordura, que prejudicam a passagem do sangue através das artérias.

Os níveis de LDL aumentam devido à ingestão de gordura saturada, presente na carne, no leite e em derivados do leite, colesterol dietético, encontrado nos alimentos de origem animal, e gordura trans, formada no processo de hidrogenação industrial, que transforma óleos vegetais em gordura sólida.

Já os níveis de HDL podem ser aumentados através de uma dieta rica em gordura polinsaturada, presente na soja, no girassol e em peixes, e gordura monoinsaturada, encontrada nos azeites e frutas oleaginosas, como nozes e castanhas. Além disso, frutas, verduras e cereais integrais devem fazer parte de uma dieta saudável. Exercícios físicos também ajudam no controle do colesterol.

"Como o colesterol alterado não apresenta nenhum tipo de sintoma, além de seguir estas dicas de alimentação e exercício, é importante realizar exames periódicos para saber se os níveis de colesterol estão saudáveis", afirma a cardiologista Dra. Ana Cristina Camarozano.

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

A alimentação para mulheres de 40 anos


Fonte: Por Gabriela Pimentel * Foto: Divulgação

Numa época em que muitas mulheres, na faixa dos 40 anos, precisam se desdobrar nos papeis de esposa, mãe e profissional, num mercado de trabalho cada vez mais competitivo, o estresse e a correria do dia a dia podem causar danos à saúde e originar, inclusive, doenças crônicas. Para lidar com tantas atribuições, sem sobrecarregar o organismo, uma grande aliada é a alimentação. Se for adequada, além de ajudar a evitar problemas de saúde, proporciona energia.

A alimentação deve ser variada e equilibrada, com a inclusão de alimentos fontes de fibras, antioxidantes e antiinflamatórios. Sem esquecer a ingestão de água, elemento fundamental. Mulheres que já estão no período da menopausa devem incrementar o cardápio com alimentos que contenham fitoestrógenos, pois auxiliam no alívio de alguns sintomas, como as ondas de calor. Para driblar tensões emocionais, a dica é incluir alimentos com nutrientes importantes para a produção de serotonina, neurotransmissor do bem-estar e do bom humor.

Nessa faixa etária, as mulheres encontram mais dificuldade para emagrecer. Isso ocorre devido a vários fatores, como a redução do metabolismo, alterações hormonais, qualidade do sono, ansiedade, estresse, depressão e estilo de vida. As mudanças hormonais podem contribuir, em parte, para o descontrole do peso. Portanto, cabe manter o equilíbrio do estilo de vida e de fatores psicossociais nessa fase para que se consiga também o equilíbrio do peso.

Realizar atividade física regularmente, dormir bem e buscar aliviar o estresse são cuidados-chave para a boa forma, bem como hábitos alimentares saudáveis como, por exemplo, fazer cinco a seis refeições por dia, alimentando-se a cada três horas. Isso mantém o metabolismo ativo, evita beliscos e que se chegue com muita fome à próxima refeição. É importante não deixar de tomar o café da manhã. Além de favorecer o aumento do metabolismo, há o dia inteiro para que a energia dessa refeição seja gasta.

Ingerir pelo menos dois litros de água por dia é fundamental, mas deve-se evitar a ingestão de líquidos às principais refeições, pois pode atrapalhar o processo digestivo. Realizar as refeições em locais calmos e não se alimentar em situações de estresse e nervosismo; alimentar-se em local adequado, sentado e não fazer nada diferente enquanto come, para que não se perca a noção do quanto e o quê se está comendo; iniciar as principais refeições pelo prato de salada, o que ajuda na saciedade; mastigar bem e devagar os alimentos até que estejam bem triturados; evitar alimentos gordurosos e calóricos e excesso de sal, temperos prontos, conservas e enlatados, assim como a ingestão de bebidas alcoólicas, refrigerantes e sucos artificiais, são medidas que contribuem para o equilíbrio do peso.

Alimente-se bem, saboreie suas refeições e tenha uma melhor qualidade de vida, aos 40, aos 50, aos 80 anos....

* Gabriela Pimentel é nutricionista e atende no BSpace Health Center, em Vinhedo. Graduada em Nutrição pela Universidade Federal de Santa Catarina, especializou-se em Nutrição nas Doenças Crônicas Não-Transmissíveis, pelo Instituto Albert Einstein. É Pós-graduanda em Nutrição Clínica Funcional. Informações www.bspace.net.br

sábado, 16 de outubro de 2010

OBSERVATÓRIO DA VIOLÊNCIA DCM - Jornal Boqueirão


Veja em : www.boqnews.com
Edição 811 de 16 de outubro de 2010.

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Solidariedade ONG DCM - Superando obstáculos


Fonte e Foto: Carina Seles, por Jornal Boqueirão

O desenvolvimento de um modelo de bengala para pessoas com necessidades especiais comprova que, com dedicação e vontade, obstáculos podem ser superados


Tudo escureceu com um murro. Em 2006, o técnico em Engenharia Eletrônica, Edson Moura, hoje com 42 anos, ficou cego do olho direito, resultado da pressão intraocular da agressão, resultando em um glaucoma. Algum tempo depois, devido a medicamentos e problemas de saúde, Moura ficou cego também do olho esquerdo.

Ao longo de sua vida, Moura, que também é formado em Administração de empresas e Ciência da computação e formação em desenho, sempre direcionou seus conhecimentos em prol às pessoas com necessidades especiais. Dois anos antes do fato que marcou sua vida, o técnico em Eletrônica idealizou um projeto social, Olhos Solidários/Ombro Amigo. “Fui preparado por Deus”, disse Moura, “já tinha desenvolvido o projeto antes de ficar cego”.
O projeto

O projeto Olhos Solidários/Ombro Amigo consiste em fabricar bengalas readaptadas a pessoas com necessidades físicas e visuais. Elas são feitas em fibra de carbono ou alumínio, e mais leves do que as tradicionais, podendo chegar a 100 gramas, no caso da fibra de carbono. As tradicionais chegam até 280 gramas. Moura fez uma releitura do material, com equilíbrio entre capacidade de impacto e resistência.

Inusitado, o engenheiro desenvolveu bengalas com materiais requalificados como segmentos de vara de pesca, bolinhas de pebolim com micro rolamentos, para facilitar locomoção de deficientes visuais, alça longa de celular, borrachinhas de cadeira e, no caso de bengalas de apoio, manopla da troca de marcha de carro. “As bengalas comuns são desajeitadas e pesadas. Não são feitas de cego para cego. Assim, fica difícil. O material, por exemplo, do apoio normalmente feito de plástico, dá calos”, afirma, “Desenvolvi uma bengala com o apoio do grip da raquete de tênis, muito mais confortável”.



São mais de 10 projetos com modelos diferentes, incluindo a bengala para natação. Nas competições paraolípicas, o nadador é avisado que está chegando ao final da piscina. A bengala readaptada é maior, com cerca de dois metros de comprimento e possui uma bolinha na ponteira, para não machucar o nadador ao ser avisado do fim da piscina.

Todo o trabalho de confecção é feito por ele, tanto em marcenaria quanto em serralheria. Moura corta os pedaços das bengalas fixas e dobráveis, com medidas exatas através de um gabarito, uma peça de madeira com as medidas em baixo relevo, em metros e em polegadas.
O tamanho também é diferente. As bengalas tradicionais são confeccionadas de acordo com a altura do cliente, diminuindo entre 40 a 50 centímetros, abaixo ao osso esterno. A bengala confeccionada pelo engenheiro é um pouco maior, permitindo que a pessoa fique mais ereta.

Dificuldades e preconceito

Segundo Moura, os próprios portadores estão quebrando o paradigma do preconceito. Bengalas personalizadas com glitter, pintadas de rosa, de dourado, com o símbolo do time, são os pedidos dos clientes que, mesmo não podendo enxergar, querem fazer moda. “Uma menina me ligou só por que descobriu que eu fazia bengalas rosa. Encomendou uma, sendo que antes não queria usar”, disse. O material é estilizado pelo plastimodelista Marcelo Torres Homem.

Além das ruas esburacadas, “em braile” como brinca o engenheiro, e dos perigos na parte superior do corpo, como árvores baixas, Moura atenta para um fato muito comum. Segundo ele, as pessoas quebram as bengalas na rua e não as repõem. “Apenas se desculpam rapidamente. O problema é que ninguém ajuda ao deficiente visual depois do acidente. Assim, ele fica com o prejuízo e sem o guia”, afirma.

A estilização, segundo Moura, ajuda as pessoas visualizarem a bengala, indicativo de uma pessoa que necessita de espaço para movimentá-la na frente do corpo.

Ele explica de forma filosófica o porquê há o preconceito. “As pessoas são criadas dentro da filosofia platônica, onde o diferente é bloqueado pelo cérebro. Quem enxerga não quer ver”, afirmou.

Doações

A Associação Bengala Leve, sob a presidência de Edson Moura, aceita doações para confecção de bengalas. As doações podem ser feitas de duas formas. A doação direta é feita no caso de compra para uma pessoa conhecida. A doação participativa é aquela na qual se junta dinheiro para doar uma bengala para um portador que ganha um salário mínimo.

O valor da bengala estilizada pode variar de R$25 a R$100, dependendo da arte gráfica. Sua meta é chegar a 500 bengalas por ano. “Isso seria muito satisfatório para mim e para as pessoas que não têm condições”, finalizou.

Para fazer a doação, o interessado deve depositar qualquer valor na conta destinada para doação participativa: Caixa Econômica Federal - Conta Participativa - Agência 0366 - Operação 013 - Conta 10765-7. Quem estiver interessado em fazer uma bengala sob encomenda deve depositar o dinheiro na conta para a doação direta e preencher o formulário de solicitação. Doação Direta - Agência 0366 - Operação 013 - Conta 8805-9. Mais informações: abenleve@uol.com.br ou 9714-5163/8111-3707/3012-9607.

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Pesquisa global mostra que um quarto de brasileiros doa


O World Giving Index, o estudo mais abrangente já realizado sobre doação no mundo, publicado hoje pelo Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social (IDIS) e Charities Aid Foundation (CAF), aponta que um quarto dos brasileiros doou dinheiro para as organizações sociais no último mês.


O estudo utilizou uma pesquisa feita pela Gallup sobre o comportamento de indivíduos em relação a doações em 153 países, cobrindo 95% da população global, para medir três diferentes tipos de comportamento – doações em dinheiro para organizações sociais, tempo utilizado para trabalho voluntário e ajuda a estranhos. O World Giving Index combina esses comportamentos para compor um ranking dos países mais generosos do mundo. A Austrália e Nova Zelândia são os primeiros da lista.

O Brasil aparece em 76ª posição do ranking, junto com a Argentina e a Nicarágua, onde também um quarto da população doa dinheiro e quase a metade ofereceu ajuda a estranhos no último mês.

Malta é o país com o maior percentual da população (83%) doando dinheiro. O Turquemenistão é o mais generoso em doar seu tempo, com 61% da população voluntariando para organizações. A Libéria é a primeira em ajuda a estranhos (76%).

“Essa é a primeira vez que o comportamento referente a ações de caridade foi medido abrangendo quase a totalidade da população mundial e é encorajador ver o Brasil na média da lista e vindo na frente dos outros países do BRIC”, diz Márcia Woods, Diretora Executiva do IDIS. “Entretanto, é uma oportunidade avançarmos no assunto, com a sociedade construindo propostas concretas para encorajar um comportamento mais generoso, seja por meio de uma legislação mais favorável para as doações em dinheiro, seja através do incentivo ao voluntariado.”

O estudo também compara se a felicidade ou a riqueza é um aspecto importante em influenciar a decisão sobre doar ou não dinheiro para organizações de caridade. Para todos os países, o IDIS/CAF comparou a força da correlação entre doar e o PIB dos países e a felicidade da população. Foi encontrado que a correlação entre a felicidade e doação é mais forte que a correlação com riqueza.

O Diretor de Pesquisa da Charities Aid Foundation (CAF), Richard Harrison diz: “O World Giving Index mostra que as pessoas são realmente generosas e cada país tem sua própria maneira de doar para organizações sociais, seja por meio de recursos financeiros ou tempo. Doar dinheiro para organizações é tradicionalmente visto como sendo motivado por quão rico a pessoa é. Contudo, fica evidente que a felicidade tem um papel importante em influenciar se uma pessoa doa.”

“A pesquisa sugere um ciclo virtuoso em que uma pessoa doa para uma organização, que provoca melhora na qualidade de vida de seus beneficiados, trazendo felicidade. E os beneficiados, em troca, são mais propensos a serem generosos.”

As informações são do IDIS

Foto: Divulgação

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

ONG SAÚDE - Produtos Naturais - Alimentos em Pó



Fonte: Divulgação


O segmento de produtos naturais não para de investir em novidades que atendam as necessidades das pessoas. A febre do momento são as farinhas. Diversos alimentos estão ganhando suas versões em pó e suprindo carências nutricionais. Mas, você sabe para que serve cada tipo de farinha?


Alimentos em pó: práticos e nutritivos

O mercado oferece uma infinidade de tipos de farinhas. Elas podem ser de frutas, de leguminosas e de cereais. Descubra a finalidade de cada uma e obtenha o máximo de benefícios

Não gosta de agrião? Só de pensar em comer beterraba você já tem arrepios? A ausência destes e de outros alimentos no cardápio podem causar deficiência nutricional. Uma solução prática e bem nutritiva para resolver o problema é a adição de farinhas no dia a dia. É possível encontrar a versão em pó de alimentos como berinjela, maracujá, feijão branco, cenoura, entre outras opções.

A nutricionista Fernanda Granja preparou um verdadeiro manual os principais tipos de farinhas, seus benefícios e indicações. _"Cada farinha tem uma função. O importante é conhecer cada uma, saber diferenciá-las e incluir na alimentação a que mais se adequa à sua necessidade. E o principal: não fazer disso um modismo e sim um hábito", explica.

FARINHAS DE FRUTAS

Maracujá:
é rica em fibras e pobre em carboidratos, por isso, é a mais indicada para controle da glicemia, sendo uma aliada para os diabéticos tipo 1 e 2. "A farinha da casca de maracujá é rica em pectina, uma fração de fibra solúvel que tem a capacidade de reter água formando géis viscosos que retardam o esvaziamento gástrico, ou seja, promove sensação de saciedade, ajudando no emagrecimento, e
melhora o trânsito intestinal", explica Fernanda. Diversos estudos mostram que dietas ricas em fibra dietética estão associadas com um risco reduzido de diabete e doenças cardiovasculares, assim como inversamente relacionadas com a resistência à insulina e com consequente aumento na sensibilidade desta, ajudando os pré-diabéticos.


Maçã:
é riquíssima em pectina, portanto, também ajuda no emagrecimento. A pectina torna a absorção de glicose menos eficiente, fazendo com que o açúcar seja absorvido mais lentamente, evitando a transformação de açúcares em gorduras. Além disso, a pectina possui ação reguladora do trânsito intestinal, pois aumenta o volume do bolo fecal e retém mais água, fazendo com o intestino funcione
adequadamente.

Uva: ótima fonte de antioxidantes e, principalmente, fonte de compostos fenólicos, como a luteonina, quercetina, procianidinas e o resveratrol. "As procianidinas e o resveratrol são agentes
antioxidantes muito estudados nas doenças cardiovasculares, pois pesquisas mostram que eles agem diretamente na saúde do coração", atesta a nutricionista. A farinha de uva nesse caso é para quem quer ter os benefícios dos antioxidantes do vinho sem precisar tomá-lo todos os dias. A luteonina é um composto fenólico importante para os
olhos, indicado especialmente para perda da visão senil ou diabéticos descompensados, que precisam tomar um cuidado extra com a visão.

Amora: é rica em flavonoides e polifenois, substâncias antioxidantes que combatem o excesso de radical livre e assim, previnem o
envelhecimento precoce da pele e outros tecidos, além de prevenir o câncer.

Laranja Amarga: contém _citrus aurantium_, um princípio a ativo que acelera o metabolismo local de gordura corporal, diminuindo a gordura na parte da cintura e coxas.

Banana Verde: é uma rica fonte de potássio, fósforo, magnésio, cobre, manganês. Possui também zinco, o que a torna ótima para a saúde dos ossos, fertilidade e imunidade. Mas, o diferencial desta farinha é o
é o amido resistente. "Ele é similar à fibra alimentar que não é digerida nem absorvida pelo intestino delgado. Assim, no intestino grosso ele é fermentado, produzindo substâncias que servem como fonte de energia para produção de bactérias benéficas do nosso intestino. Essas bactérias têm a capacidade de manter a integridade da mucosa intestinal, que é responsável pela absorção adequada dos nutrientes e pela barreira da entrada de substâncias maléficas" explica Fernanda
Granja. Desta forma, o consumo de banana verde auxilia no bom funcionamento do trânsito intestinal, evitando episódios de diarreia ou constipação, além de evitar o desenvolvimento de câncer de intestino. "Estudos indicam ainda que o consumo de amido resistente também atua na redução do colesterol, pela redução de sua produção
pelo fígado, e pelo aumento da sua eliminação pelos ácidos biliares. Desta forma, a banana verde pode também ter uma importante função na prevenção do desenvolvimento de doenças do coração", completa. O amido resistente também faz com que a quantidade de glicose liberada no sangue seja mais lenta. Isso contribui então para a prevenção do desenvolvimento de diabetes, e ajuda aqueles que já têm o diagnóstico de diabete, pois controla a glicemia no sangue, além do acúmulo de gordura corporal, devido ao aumento da saciedade promovido pelo amido resistente.

Coco: é obtida a partir da extração do óleo de coco, mas, infelizmente não contém os ácidos graxos encontrados no óleo, o ácido
láurico (mesma substância encontrada no leite materno e que fortalece o sistema imunológico) e o ácido caprílico (que age contra fungos e bactérias, auxiliando no bom funcionamento do intestino e combatendo micoses e candidíases). A vantagem da farinha é que ela é rica em fibras e funciona como substituta da farinha de trigo e do leite em preparações, sendo uma aliada na intolerância ao glúten e à lactose.

FARINHAS DE VEGETAIS, CEREAIS E LEGUMINOSAS

FARELO DE AVEIA:
contém beta-glucanas, um agente hipocolesterolemiante. Sua ação é de absorver os ácidos biliares após sua desconjugação pelas bactérias intestinais, sendo excretado pelas fezes. Além disso, a aveia é riquíssima em fibra solúvel, que é um tipo de fibra que age como vassourinha no sangue, reduzindo colesterol e controlando o açúcar no sangue, sendo um aliado no combate ao diabetes. A FDA (Foods and Drugs Administration), órgão que regulamenta os alimentos e medicamentos nos Estados Unidos, reconheceu a eficiência da ingestão de diária de 3 gramas de fibras
solúveis na redução dos riscos de doenças coronarianas, assim, pode-se dizer que a aveia é realmente eficaz. Em 100g de aveia podemos encontrar em média 10,3 gramas de fibra. Elas estão relacionadas também ao bom funcionamento intestinal e ao lento
esvaziamento estomacal, pois são digeridas mais lentamente, prologando a sensação de saciedade e dessa maneira, controlando a fome. "Melhorando o trânsito intestinal, pode-se destacar a melhora da pele, do humor, auxilia na perda de peso e na eliminação de toxina pelo organismo", afirma a nutricionista.

BERINJELA: é composta quase totalmente por fibra. A principal é a do tipo solúvel, que age na diminuição do colesterol e glicemia no sangue. A farinha também protege as funções hepáticas aumentando a produção de bílis, fazendo com que mais uma vez, o combate ao colesterol seja feito. Além disso, ela é rica em antocianinas, que é
o mesmo antioxidante presente no suco de uva e vinho, combatendo radicais livres em excesso, e protegendo os órgãos de doenças inflamatórias e combatendo o envelhecimento precoce. Também é rica em minerais como o potássio e magnésio, que ajudam o cálcio a se fixar nos ossos e no combate a câimbras e espasmos musculares, como cólica e enxaqueca. "Estudos mostram também que a farinha de berinjela age
no controle de altos níveis plasmáticos de colesterol, diminuindo sua absorção pelo intestino e, também, com o efeito antioxidante sobre as proteínas de baixa intensidade (LDL - colesterol ruim). Por ser rica em fibras, a farinha de berinjela age melhorando a normalidade digestiva e a prevenção de doenças como constipação,
hipercolesterolemia, hiperglicemia e obesidade", esclarece.


FEIJÃO BRANCO:
fornece nutrientes como os minerais cálcio, ferro, potássio, magnésio entre outros e vitaminas E, K, folato e fibras. Além disso, possui uma proteína chamada faseolamina, que funciona como um bloqueador de carboidrato. Como possui vários nutrientes, cada um desempenha o seu papel, fazendo com que o organismo funcione adequadamente como um todo. O cálcio ajuda na manutenção dos ossos e
ajuda na perda de peso, pois age na quebra de gordura corporal. O magnésio promove saúde muscular, ótimo para a mulher no período pré-menstrual, pois alivia a cólica, e ótimo para pessoas que sofrem de enxaqueca, pois alivia o tensionamento muscular. As vitaminas são responsáveis pelo equilíbrio geral do organismo, dando disposição,
vitalidade e energia celular. E por fim, a faseolamina, é uma glicoproteína que auxilia no emagrecimento, ajuda no tratamento da diabetes e reduz os níveis de triglicerídeos do sangue, pois reduz à absorção do carboidrato (amido) encontrado em massas, batatas, arroz, pão, biscoitos, etc. A faseolamina tem como propriedade inibir a atividade da enzima alfa-amilase humana, que é responsável pela
transformação do amido ingerido em glicose. Essa enzima, presente na
saliva e liberada pelo pâncreas no intestino, atua após a alimentação, durante o processo de digestão, quebrando os amidos ingeridos e convertendo-os nos açúcares da circulação sanguínea, o que irá causar o aumento da glicemia (taxa de açúcar no sangue). "Com a inibição da enzima alfa-amilase, os amidos não conseguem ser digeridos e são enviados diretamente ao intestino para sua eliminação através das fezes. Esse mecanismo apresenta uma alternativa segura para as dietas de emagrecimento, diabéticos que precisam diminuir a quantidade de açúcar circulante e para diminuição de triglicérides, favorecendo a saúde do coração", conta Fernanda.


CENOURA:
é rica em betacaroteno, poderoso antioxidante que previne o envelhecimento precoce e é ótimo para cabelos e unhas, pois participa do processo de regeneração celular, ajudando também na formação do colágeno. Infelizmente, a farinha não contém vitamina C, pois o nutriente é sensível e se perde muito fácil na presença de luz.


BETERRABA: é uma alternativa à farinha de trigo, pois não causa diferença nas preparações e ainda tem a vantagem de ser pouco calórica, além de não conter glúten e ser rica em fibras. Até agora, os produtos sem calorias para substituir a farinha tinham dois inconvenientes: o sabor desagradável e o fato de não deixarem a massa
crescer.

SOJA PRETA: é rica em antocianinas, portanto seu uso é indicado para dietas antioxidantes. A quantidade de fibra não é superior à da linhaça, por exemplo, mas contém uma quantidade considerável de fibras. Deve-se tomar um cuidado extra com a soja, pois esta pode ser indigesta para os brasileiros, já que ela não faz parte da nossa alimentação diária. Os possíveis sintomas são gases e sensação de inchaço.


TOMATE: ótima fonte de licopeno, agente antioxidante muito estudado na prevenção do câncer de mama, útero e principalmente na prevenção de câncer de próstata. O licopeno é também muito utilizado na indústria de cosméticos, pois ajuda na prevenção do envelhecimento da pele.


AGRIãO: fonte importante de luteína que previne a degeneração macular
senil (DMS) e a consequente cegueira. A farinha apresenta uma alta
concentração de clorofila, pró-vitamina A, vitamina A, B, E, K, B17,
betacaroteno, magnésio, cálcio, manganês, fósforo, potássio, ferro,
zinco, iodo, selênio, ácido ascórbico, ácido pantotênico, alanina,
arginina, cobre, enxofre, fosfato, glicina, gluconasturtina,
histidina e óleo essencial sulfo-azotado amargo e volátil. A
clorofila tem ação depurativa e desintoxicante, agindo contra
radicais livres, retardando o envelhecimento. O agrião auxilia na
manutenção de taxas normais de glicose e colesterol. Apresenta também
propriedades adstringentes, anti-inflamatória, antisséptica das vias
respiratórias e antiescorbútica. É contraindicada para gestantes, já
que pode causar irritações no estômago e nas vias urinárias e em
grande quantidade pode provocar aborto.



BRóCOLIS
: contém alto teor de cálcio, representando cerca de cinco
vezes a dose existente no leite, sendo portanto, um vegetal bom para
a formação dos osso e dos dentes, prevenindo osteoporose. Excelente
fonte de aminoácidos, ferro, riboflavina, vitamina A, potássio e
fósforo. O brócolis possui um fitonutriente protetor denominado
sulforafano, potente antioxidante e estimulador das enzimas
desintoxicantes naturais, protegendo também as células dos vasos
sanguíneos danificados por altos níveis de glicose (hiperglicemia)
associados à diabéticos. O sulfarofano do brócolis também ajuda a
prevenir os olhos contra a degeneração macular senil (DMS) tão comum
na terceira idade e auxilia na redução do risco do desenvolvimento de
formas agressivas de câncer de próstata.



COUVE:
é rica em cálcio, potássio, ferro, clorofila e ácido fólico,
sendo um alimento importante na formação e manutenção de osso e
dentes e a integridade do sangue. Contém vitamina A para uma boa
visão e a saúde da pele; vitaminas do complexo B que têm a função de
proteger a pele, evitar problemas do aparelho digestivo e do sistema
nervoso, melhorando a energia celular, sendo um aliado na disposição
e vitalidade. Importante dizer que o cálcio contido na couve é 57%
mais disponível para a absorção contra 37% do cálcio dos produtos
lácteos. Além disso, a couve é um vegetal crucífero que auxilia a
destoxificação e no metabolismo hepático, é altamente oxidante e
funciona muito bem como laxante natural, pois suas fibras melhoram o
trânsito intestinal.



PSYLLIUM
: é uma fibra solúvel que forma um gel e consequentemente
aumenta o bolo fecal. Por ser solúvel, funciona como vassourinha no
organismo, diminuindo colesterol e açúcar no sangue, sendo uma
farinha que auxilia o emagrecimento. Muito indicado também em doenças
intestinais como diarreia, síndrome do intestino irritável ou
diverticulite, pois ele dá forma ao bolo fecal, melhorando o trânsito
intestinal.



INULINA:
fibra não digerível pelo intestino, classificada como um
probiótico. Por não ser digerível, a inulina provoca uma leve
fermentação no intestino, alimentando as bactérias benéficas que
povoam nossa flora intestinal. Assim, ela é considerada um alimento
funcional, pois exerce diversos efeitos benéficos à saúde,
simplesmente por melhorar a absorção intestinal. Por ser uma fibra,
outro beneficio é o seu efeito sobre a glicemia e a insulinemia que,
como ocorre no caso de outras fibras, interfere na absorção de
macronutrientes, especialmente de carboidratos, sendo assim um bom
aliado aos diabéticos. Podemos encontrar inulina no trigo, cebola,
banana, alho e alho-poró.

POLIDEXTROSE: é um polímero de glicose que não é digerido pelo
organismo fazendo o papel de uma fibra solúvel. Age na diminuição de
hiperglicinemia e colesterol alto, assim como previne câncer de cólon
e reto.


NA PRáTICA


Na hora do consumo a nutricionista indica o uso de 1 colher de chá da
farinha em cada refeição. Pode-se utilizar um tipo de farinha por dia
ou por refeição. Há também a opção de misturar todas as farinhas em
um único pote e usá-las como um mix. "O uso pode ser alternado em
sucos, saladas, sopas, vitaminas, iogurte. O importante é incluir
essas farinhas no cardápio", conclui Fernanda.

As farinhas também podem ser utilizadas em preparações de bolos,
pães, tortas e panquecas. Não há problema em aquecê-las, pois o
processo de desidratação e liofilização dos vegetais já conserva a
maioria dos nutrientes. Geralmente, o processo de secagem é através
de estufa com circulação de ar quente e a temperatura correta é de 48
graus, já que com este aquecimento não existe a perda das propriedades
nutricionais dos alimentos desidratados.


MISTURE TODAS AS FARINHAS

100g de farinha de banana verde

100g de farinha de maracujá

100g de farinha de uva

100g de farinha de linhaça

100g de farinha de feijão branco

100g de farinha de berinjela

100g de farinha de tomate

100g de farinha de maçã

100g de farinha de laranja

100g de farinha de couve



Coloque num pote de vidro e guarde na geladeira. Consuma 1 colher de
sobremesa 30 minutos antes da refeição (almoço e jantar) com 100ml de
chá gelado, por exemplo. Desta forma, você terá mais saciedade e
estará com o corpo cheio de antioxidantes e queimadores de gordura!


SERVIÇO: FERNANDA GRANJA - Nutricionista Clínica especializada em nutrição
funcional, nutrição pediátrica e fisiologia do exercício -
www.drafernandagranja.com - (11)
3628-4350 | (11) 3259-7288

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Dores nas costas e má Postura


A grande maioria das queixas de dores nas costas são ditas funcionais, relacionadas aos vícios de posturais, falta de ergonomia no trabalho e no dia-a-dia. Não podemos responsabilizar um único ato ou hábito como os principais vilões para as dores, geralmente há uma somatória de causa que culminam com as dores crônicas ou mesmo as
crises de agudização.

Um indivíduo obeso, sedentário, fumante, com falta de ergonomia no trabalho e em atividades de vida diária, por exemplo, esta mais exposto a ser um candidato para ter dor nas costas, aquele que tem uma vida ativa fisicamente, peso adequado, uma postura correta no trabalho, tem menos a chance de desenvolver essas dores, e caso isso ocorra, vai chamar muito mais a atenção do especialista para que este
recorra a exames subsidiários com intuito de afastar causas mais graves.

"A má postura é a grande vilã das dores nas costas. Muitas vezes achamos que estamos confortáveis, mas na verdade essa sensação não garante que a coluna esteja "protegida". É preciso prestar atenção principalmente na maneira como sentamos e como nos postamos nas atividades em que ficamos muito tempo na mesma posição ou em
atividades repetitivas." explica o Dr. Jefferson A. Galves, medico ortopedista, especializado em doenças da coluna vertebral e membro do Grupo Medicina da Coluna.

O Grupo Medicina da Coluna foi criado por seis médicos ortopedistas, especialistas em doenças da coluna vertebral, com o objetivo de proporcionar aos pacientes o melhor atendimento, através de serviços de alta qualidade e algumas dúvidas freqüentes que a população tem em relação às dores na coluna.

Site: www.medicinadacoluna.com.br
Foto: Divulgação

Estresse, ansiedade ou nervosismo: diferença está na intensidade


Fonte: Da redação - Barcelona S. C.


Especialista explica como identificar as nuances de estados psicológicos


O trânsito está ruim, o carro quebrou, o ar está seco, o trabalho é cada vez mais difícil e os problemas familiares são muito complicados. Quem nunca passou por situações como essas? É estresse, ansiedade ou apenas nervosismo? De acordo com o médico homeopata Yechiel Moises Chencinski, todos estão propensos a passar por momentos como esses, e é preciso atenção para diferenciar cada condição.


"Embora cientificamente sejam parecidos, podemos dizer que esses estados psicológicos recebem denominações de acordo com o grau de intensidade", considera. "Quando um indivíduo passa por uma fase aguda de ansiedade e esgotamento, por exemplo, ele vivencia o estresse", explica.

Segundo o médico, ansiedade é uma reação-base normal do organismo, responsável por adaptar o corpo a uma situação nova, em maior ou menor intensidade. Quando em um grau elevado, no entanto, essa ansiedade prejudica a capacidade de adequação e uma das consequências é, também, o estado nervoso agudo.


"Cada pessoa responde de uma forma própria e individual para cada tipo de estímulo e, às vezes, a mesma pessoa reage de maneiras diferentes mesmo em circunstâncias semelhantes. Por isso, é difícil rotular os sintomas", aponta o médico. "Nervosismo, angústia, tristeza, depressão, ansiedade, estresse, decepção. Cada uma dessas manifestações tem características específicas", ressalta.


Tratamento é importante para controlar os sintomas


Para o especialista, apesar das reações diferentes, o caminho para resolver os conflitos deve ser sempre o mesmo: procurar um profissional de saúde. "Médicos e psicólogos estão aptos a diagnosticar o problema e, assim, indicar a forma mais adequada de contornar essas situações e retomar o estado de harmonia e equilíbrio", recomenda.


"Uma das maneiras indicadas para controlar estados ansiosos são os medicamentos homeopáticos", indica. "Esses tratamentos são muito eficazes principalmente quando atuam na esfera psicológica. Eles não possuem contraindicações e não causam reações adversas", acredita.

Segundo o Dr. Chencinski, as pessoas estão predispostas a passar por situações desagradáveis, vez ou outra, e apenas é possível minimizar as reações em busca de uma estabilidade psicológica. "O mundo não é perfeito e, sendo assim, seria impossível estarmos sempre em total equilíbrio emocional", acredita.


Dez passos em busca da harmonia

1. Se alimentar corretamente

2. Manter o corpo hidratado

3. Praticar atividades físicas regularmente

4. Manter o equilíbrio espiritual e relaxar (meditação, ioga, respiração entre outros)

5. Trabalhar naquilo que gosta e em ambiente físico e emocionalmente saudável

6. Ter tempo para o lazer (cinema, teatro, leitura, passeios, viagens)

7. Preservar o vínculo familiar e as amizades

8. Ir a consultas médicas preventivas regulares (homeopatia, acupuntura, alopatia, fitoterapia)

9. Dedicar um tempo a não fazer nada (de vez em quando, é muito legal não fazermos nada, intencionalmente)

10. Estar de bem com a vida




Sobre o Sédatif PC -O laboratório Boiron já disponibiliza para o mercado brasileiro o Sédatif PC, medicamento homeopático indicado para prevenção e tratamento do estresse, ansiedade e distúrbios do sono. Ele é isento de prescrição e não possui contraindicações, por isso pode ser utilizado por adultos e crianças de todas as idades e até por gestantes. Não é um sedativo e não causa sonolência.


segunda-feira, 6 de setembro de 2010

A gravidez na adolescência tem diminuído no Brasil?

Fonte e foto: Divulgação

O dia 26 de setembro é dedicado mundialmente à Prevenção de Gravidez na Adolescência. A diretora do Instituto Kaplan, Maria Helena Vilela, é educadora sexual e fala sobre prevenção.

O trabalho com os adolescentes está tendo uma resposta positiva. Em 2004,
quando nós começamos o trabalho do Projeto Vale Sonhar, o índice de gravidez
na adolescência no Brasil era em torno de 28 %. Hoje, a última referência
que nós temos do DATASUS é de 2007, e estes dados nos mostra que houve uma
diminuição de quase 8 pontos percentuais. Então atualmente, esse índice está
em torno de 20% de gravidez na adolescência no Brasil. Isso mostra que todo
o trabalho com a educação sexual, de prevenção que vem sendo feito, pode ter
tido sim, um impacto positivo na vida desses jovens e contribuído para a
redução desses números de gravidez na adolescência.

É essencial que haja educação sexual nas escolas?


Sem dúvida. A gravidez na adolescência tem muitos fatores, mas
sem dúvida nenhuma, a educação sexual é um dos principais que interferem na
decisão ou na condição de uma jovem de engravidar na adolescência. É
fundamental que os adolescentes não apenas saibam, mas de fato tenham
consciência do porque este corpo se reproduz, o impacto que uma gravidez
pode trazer na vida deles, e como evitar em um momento que eles não estão
prontos para isso. Portanto, o trabalho com educação sexual é imprescindível
na vida desses jovens. Vale ressaltar a informalidade com que a questão
sexual é tratada hoje em dia e muitos jovens não estão preparados para viver
neste ambiente liberal criado pela própria sociedade. A facilidade que veio
com o avanço da ciência, como exames de DNA e pílulas anticoncepcionais
permite que o sexo não mais seja visto apenas com o objetivo de reprodução.
Se sexo faz parte da vida do homem, portanto é natural que, se houver
estimulo sexual, estes meninos reajam a estes estímulos e se desejem.
Portanto, eles precisam ser bem preparados para esta realidade em que eles
vivem hoje, daí a importância do trabalho de educação nas escolas, via
internet, nos postos de saúde, enfim, onde os jovens estiverem. O que eles
precisam é de um espaço para que eles tenham consciência de que adolescência
não é o melhor momento para eles terem um filho.




Essa liberdade de informação da internet não atrapalha os jovens a dividir o que é o joio do trigo? Como o Instituto Kaplan está usando essas novas ferramentas de informação para também balizar o jovem?

A internet abre o espaço para que os jovens tenham acesso a todo
o tipo de informação e obviamente, separar o joio do trigo para o jovem é
muito difícil. Então o papel do Instituto Kaplan como uma instituição
educadora nesta área de sexualidade é já dar o joio separado do trigo. E é
isso que nos procuramos fazer no nosso trabalho, buscar a atenção do jovem
para aquilo que ele de fato precisa saber e saber usar a sua sexualidade em
seu benefício e não contra ele mesmo. Por isso, não negamos a nenhum jovem
qualquer tipo de informação que eles queiram saber e sempre nos baseamos em
critérios científicos e de investigações que nós ou outros profissionais de
outras instituições tenham feito que embasam o nosso trabalho e as nossas
observações a fazer para eles.

O Instituto Kaplan tem um trabalho pioneiro, que é o Projeto Vale Sonhar que
em alguns estados como Alagoas, São Paulo e Espírito Santo já é uma política
pública que é o ensino da educação sexual com base no futuro, com os sonhos
do futuro, dentro da disciplina de biologia. Quais têm sido os resultados
efetivos dessa ação?


Os resultados são bem animadores! Nós conseguimos obter por meio
de um trabalho de multiplicador (em que instruímos o coordenador pedagógico
para que ele prepare os seus professores para realizar as oficinas do Vale
Sonhar), uma diminuição de 50% do número de gravidez nas escolas das cidades
Serra e Cariacica (ES) em 2008 e 2009. A partir dessa experiência, esse
trabalho foi expandido para todo o estado do Espírito Santo. No estado de
Alagoas que foi um trabalho desenvolvido em 2008 e 2009, também por este
meio de multiplicador, conseguimos obter um resultado em torno de 35% de
diminuição no número de gravidez na adolescência. Este trabalho, que foi o
primeiro realizado na Secretaria de Educação do Estado de Alagoas, foi
implantado em todas as escolas estaduais do estado, onde todos os municípios
puderam desenvolver um trabalho monitorado pelo Instituto Kaplan em todos os
momentos. São Paulo, que já é uma rede infinitivamente maior, (enquanto em
Alagoas nós temos 187 escolas no estado inteiro de Ensino Médio, em São
Paulo nós temos uma rede de 3.668 escolas), é um universo fantástico e o
Instituo Kaplan fica muito feliz que esta secretaria tenha implementado a
metodologia do Vale Sonhar dentro da matéria de biologia. E com isso, a
gente conseguiu nesta primeira avaliação de 2008 e 2009, uma diminuição em
torno de 20% do número de jovens que deixaram de ficar “grávidos” após as
oficinas do Vale Sonhar. Isso é um dado muito significativo, já que na rede
de São Paulo, são 600.000 alunos e podemos inferir que aproximadamente
60.000 jovens deixaram de engravidar nesse ano de 2009. É um resultado muito
gratificante não só para o Instituto Kaplan como para todos nós que queremos
que os nossos jovens e nossa população tenham uma melhor qualidade de vida.

Qual a reflexão que o Instituto Kaplan deixa nesse Dia Mundial da Prevenção
da Gravidez na adolescência?


A reflexão é para os pais e não para os jovens. Embora os
adolescentes tenham vida própria, eles são frutos de uma educação, isto é,
boa parte do que fazem e acreditam ainda está no núcleo familiar. O que eu
gostaria de dizer para os pais é que sexo faz parte da vida da gente, é uma
necessidade como outra qualquer e não é por si só ruim, pelo contrário sexo
é uma coisa boa. Agora se ele não for bem trabalhado, se a pessoa não souber
como lidar com a questão sexual, isto pode trazer conseqüências negativas
para a vida delas. Ou nós começamos a refletir sobre a vida sexual como algo
positivo, na qual nós precisamos de fato olhar para ela com carinho e
estimular os nossos filhos a buscarem consultas médicas, e usarem os métodos
contraceptivos ou o que nós vamos ter aí é uma dificuldade que vai além das
possibilidades do Instituto Kaplan. Nós vamos até um ponto, mas agora, nós
precisamos da ajuda das famílias, de toda a comunidade, para que a gente
perceba que hoje em dia não dá mais para as meninas largarem a escola por
causa de uma gravidez na adolescência.

www.kaplan.org.br

Cuide da higiene bucal das crianças



Fonte: Maristela Lobo - www.personare.com.br
Foto: Divulgação/ www. personare.com.br


Saiba quais os cuidados indicados para prevenir cáries nos pequenos

É comum que mamães de primeira viagem fiquem na dúvida ao cuidar de seus bebês, principalmente na hora de escovar os dentes. Muitas não sabem que o leite materno, além de ser uma ferramenta de proteção contra as doenças do organismo, previne as cáries precoces. Mas é importante cuidar da higiene bucal dos pequenos diariamente. Confira as dicas a seguir:

* Bebês ainda sem dentes - limpe a gengiva e a língua com fralda ou gaze úmida após as mamadas.
* Quando os primeiros dentinhos nascem - deve-se iniciar a escovação, de forma suave, com uma escova bem macia, sem creme dental, ou com creme dental específico para os bebês (sem flúor e substâncias alergênicas). É importante que o bebê se acostume com os movimentos da escovação.
* A partir de 3 ou 4 anos - quando a criança aprende a cuspir os cremes dentais que contêm flúor devem ser introduzidos na higiene bucal.

Cuidados essenciais- Os pais podem transmitir bactérias prejudiciais ao bebê. Para que isso não ocorra, não devem compartilhar copos, talheres, escovas de dentes ou ter contato próximo à boca do filho. Essas atitudes evitam a transmissão precoce de bactérias que podem causar cáries ou de patógenos periodontais, diminuindo o risco do desenvolvimento dessas doenças no futuro.

O flúor é um agente comprovadamente eficaz no controle coletivo da doença cárie. Essa substância química está presente na água encanada, a qual utilizamos para enxaguar os dentes após a escovação, e na água potável, de filtros ou engarrafadas. Entretanto, a principal arma de que dispomos no controle das doenças bucais é a escovação.

Maristela Lobo - Especialista em odontologia estética. Idealizadora do projeto Saber Sorrir, atua como professora no Senac e mantém um consultório particular em São Paulo.